Ambiente

Trump retira os EUA do acordo de Paris sobre alterações climáticas

Trump retira os EUA do acordo de Paris sobre alterações climáticas

Donald Trump já decidiu que vai retirar os EUA do acordo de Paris sobre alterações climáticas assinado em 2015 por Obama, revelam vários meios de comunicação norte-americanos.

Apesar de ainda não serem conhecidos os contornos da saída, a Fox News e o site Axios garantem que Trump já tomou a decisão, que vai colocar os EUA ao lado da Nicarágua e Síria, como os únicos países que não se juntaram ao esforço global de redução de emissões poluentes.

Ambos os meios, que citam fontes anónimas, mas próximas de Trump, não detalham quando o Presidente irá fazer o anúncio oficial.

Segundo o site Axios, citado pela agência Reuters, Trump está agora a ponderar os pormenores da decisão. Pode anular formalmente a assinatura do acordo de Paris, opção que pode demorar três anos a concretizar, ou retirar os EUA do tratado das Nações Unidas onde se baseia o acordo sobre as alterações climáticas. Uma decisão mais rápida, mas também mais drástica.

Durante a campanha eleitoral, Donald Trump afirmou que o aquecimento global é um embuste e, na última semana, durante a reunião G7, recusou-se a apoiar uma declaração sobre o aquecimento global, dizendo que precisava de mais tempo para decidir sobre o acordo de Paris.

Apesar da pressão do Presidente francês, Emmanuel Macron, e da chanceler alemã, Angela Merkel, a declaração final da cimeira do G7 reconheceu que os Estados Unidos "não estão em condições de chegar a um consenso" sobre a luta contra as alterações climáticas.

Nessa declaração, os membros do G7, exceto os EUA, reiteraram o compromisso em aplicar "rapidamente" o acordo de Paris, adotado em dezembro de 2015 por 195 países.

No final da reunião, a chanceler alemão criticou a posição de Washington dizendo: "Aqui está uma situação em que somos seis, sete se incluirmos a União Europeia, contra um (...) Isto significa que não há sinal até agora de que os Estados Unidos continuem ou não no acordo de Paris".

O acordo de Paris foi assinado por 195 países em dezembro de 2015 tendo em vista reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e conter o aquecimento global abaixo dos dois graus Celsius.

A anterior administração comprometeu-se em Paris que os Estados Unidos iriam reduzir as suas emissões de CO2 de 26 a 28% até 2025, por comparação com o nível de 2005.

Para este efeito, o Presidente democrata Barack Obama autorizou a Agência de Proteção do Ambiente a forçar as indústrias de carvão a reduzir as suas emissões de dióxido de carbono.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado