República Dominicana

Avaria de avião deixou mais de 300 portugueses retidos em Punta Cana

Avaria de avião deixou mais de 300 portugueses retidos em Punta Cana

Uma avaria impediu o voo entre Punta Cana e Lisboa deixando 387 passageiros retidos no aeroporto. Dormiram no chão, um passageiro sentiu-se mal e foram longas horas de espera.

Foram "umas férias de sonho" mas, no final, "378 passageiros, praticamente todos portugueses," acabaram por ficar retidos na quinta-feira à noite no aeroporto de Punta Cana, na República Dominicana, devido a uma avaria no avião que deveria fazer a ligação a Lisboa.

Vasco Pinho, vereador do PS em Matosinhos, é um dos portugueses afetados. O voo da companhia Orbest (OBS 852) deveria ter partido quinta-feira às 23.45 horas locais (04.45 horas desta sexta-feira em Portugal continental) mas, às 05.20 horas da madrugada (10.20 horas em Portugal continental) contou ao JN que a situação se mantinha, sem qualquer informação sobre quando seria realizado o voo.

"Embarcamos cerca das 21 horas (locais) e o comandante informou que um dos motores do Airbus em que iríamos viajar não funcionou. Ficamos dentro do avião cerca de 2.30 horas e depois o comandante informou que não seria possível fazer a reparação", acrescentou.

"Saímos para o aeroporto. Somos no total 387 pessoas, 97% portugueses e grande parte são crianças. Tivemos de dormir no chão e só agora, passadas quase nove horas desde que ficamos retidos é que o pessoal do aeroporto nos deu uma sandes e uma água (sumo para as crianças)", descreveu Vasco Pinho ao JN por telefone.

"Ficámos aqui retidos sem qualquer apoio. O aeroporto está deserto à noite e as lojas praticamente todas encerradas", sublinhou.

Sem apoio por parte da operadora turística Jolidey, que organizou o pacote de viagem turística, Vasco Pinho contactou diretamente a Secretaria de Estado da Comunidades Portuguesas em Lisboa a denunciar a situação e, "manifestando-se muito disponíveis", indicaram que iriam tentar obter informações.

Pelas 08.30 horas locais (13.30 horas em Portugal continental), Vasco Pinho garantia que permaneciam em terra.

"Depois de nove horas no aeroporto, voltamos a entrar para a mesma aeronave e, contrariamente ao que nos tinha sido anunciado, voltou a mesma tripulação de bordo e os mesmos membros de cabine. Para espanto total, fomos informados que teríamos de sair novamente da aeronave para o terminal do aeroporto, onde nos encontramos, em virtude de, alegadamente, a ANAC [Autoridade Nacional da Aviação Civil] não ter autorizado o prolongamento de tempo de serviço necessário para esta tripulação nos levar de regresso a Portugal", indicou ao JN.

"Um dos passageiros sentiu-se mal com toda esta situação e teve de ser retirado da aeronave de ambulância", concluiu.

Cercas 09.30 horas locais (14.30 horas em Portugal continental), os passageiros afetados faziam fila para receberem "um sumo e um hambúrguer com batatas", adiantou o passageiro português. Pouco depois, os 387 passageiros foram chamados para a terceira tentativa de embarque.

Segundo o site da ANA - Aeroportos de Portugal, o voo da companhia Orbest (OBS 852) proveniente de Punta Cana (que deveria ter aterrado em Lisboa esta sexta-feira pelas 12.15 horas) tem chegada a Lisboa prevista para as 01.25 horas de sábado.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado