Balança comercial

Exportações aumentam 15% e importações crescem 22% em maio

Exportações aumentam 15% e importações crescem 22% em maio

As exportações aumentaram 15,4% e as importações subiram 22,4% em maio face ao período homólogo, o que se traduziu num agravamento do défice da balança comercial para 1,438 mil milhões de euros.

De acordo com os dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em abril as exportações tinham registado uma variação homóloga de 0,1% e as importações de 11,4%.

O défice da balança comercial de bens situou-se em 1,438 mil milhões de euros em maio de 2017, o que representa um aumento de 503 milhões de euros face ao mês homólogo de 2016.

Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 1,074 mil milhões de euros, correspondente a um aumento de 344 milhões de euros em relação ao mesmo mês de 2016.

No trimestre terminado em maio de 2017, as exportações e as importações de bens aumentaram, respetivamente, 13,2% e 16,5% face ao período homólogo, acrescenta o INE.

Face ao mês anterior, as exportações cresceram 17,4% em maio de 2017, sobretudo devido ao comportamento do Comércio Intra- União Europeia (UE), enquanto as importações aumentaram 16,2%, reflexo essencialmente da evolução verificada nas transações Intra-UE.

Tendo em conta os principais países de destino em 2016, em maio deste ano, os maiores aumentos, em termos homólogos, registaram-se nas exportações para França e Espanha (17,4% e 7,5% respetivamente).

Nas importações, no âmbito dos maiores países fornecedores em 2016, no mês em análise, apenas as importações do Brasil e da Rússia diminuíram, em termos homólogos.

Em sentido oposto, o INE assinala o crescimento de 19,3% das importações de Espanha.

Além da informação habitual, atendendo ao início das negociações relativas ao 'Brexit', o INE incluiu neste destaque informação específica sobre as transações comerciais de bens de Portugal com o Reino Unido, no ano 2016 e no primeiro trimestre de 2017.

O Reino Unido, tradicionalmente um dos principais destinos para os bens nacionais, manteve-se como o quarto principal mercado em 2016, com um peso de 7,0%.

As exportações para este mercado totalizaram os 3,540 mil milhões de euros, correspondendo a um aumento de 5,5% face ao ano anterior e que representa um maior dinamismo face à evolução global registada de 1%.

No primeiro trimestre de 2017, as exportações de bens para o Reino Unido aumentaram 7%, em comparação com o mesmo período de 2016, crescimento inferior ao verificado para o total das exportações de bens (+17,1%).

Ainda assim, refere o INE, o mercado britânico permaneceu neste período como o quarto maior destino, com um peso de 6,7%, sendo apenas superado por Espanha, França e Alemanha.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM