Nacional

Ribeiro e Castro apela a boicotes na faculdade que cancelou debate com Nogueira Pinto

Ribeiro e Castro apela a boicotes na faculdade que cancelou debate com Nogueira Pinto

O antigo líder centrista Ribeiro e Castro apelou, esta terça-feira, ao boicote a conferências na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) enquanto não for dada uma explicação sobre o cancelamento de uma conferência com o politólogo Jaime Nogueira Pinto.

"Já participei em debates na FCSH. Não tornarei a participar enquanto não for tomada uma posição e apelo às pessoas que tenham apreço pela liberdade a fazer o mesmo, enquanto não for dada uma explicação sobre o que se passou, um pedido de desculpas e uma garantia de que não voltará a verificar uma situação como esta", disse à agência Lusa José Ribeiro e Castro.

O evento, apresentado como conferência-debate na página de Facebook do movimento Nova Portugalidade, estaria marcado há cerca de duas semanas para se realizar na FCSH da Universidade Nova de Lisboa mas foi cancelado a pouco mais de 24 horas da hora marcada (18:30 de hoje), escreve o jornal Observador.

Em declarações ao Observador, Jaime Nogueira Pinto, convidado pelo núcleo de alunos da FCSH ligado à Nova Portugalidade para a conferência intitulada "Populismo ou Democracia? O Brexit, Trump e Le Pen em debate", disse que foi o próprio diretor da faculdade que o informou da decisão, alegando questões de segurança.

À Lusa, o antigo deputado centrista considerou que estas posições devem ser tomadas pela associação de estudantes, pela direção da FCSH e pela reitoria da Universidade Nova de Lisboa, que não pode ficar indiferente a uma questão que "mancha o prestígio de uma universidade de referência portuguesa".

"Fez-me lembrar o PREC [Processo Revolucionário em Curso] e 1975, mas nessa altura havia Mário Soares, Salgado Zenha e Manuel Alegre e agora leio que há vozes no PS que apoiam este desmando autoritário. Isto é muito grave. Considero essencial que o PS se desmarque pelo menos com o mesmo vigor com que Mário Soares se comportou em 1975", sustentou.

Para José Ribeiro e Castro, o cancelamento da conferência com Jaime Nogueira Pinto é "um ataque à liberdade, à inteligência e ao espírito académico", configurando uma "iniciativa persecutória", que é "um prenúncio péssimo para o futuro".

"Na história, sabe-se quando estas coisas começam, não se sabe como acabam", disse.

A Lusa tentou hoje obter explicações junto da direção da faculdade e da associação de estudantes tendo ambas remetido uma comunicação oficial para mais tarde.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM