Sintra

Silêncio e palmas em memória da jovem que morreu vítima de sarampo

Silêncio e palmas em memória da jovem que morreu vítima de sarampo

Centenas de alunos da Escola Secundária D. Maria, na Portela de Sintra, cumpriram, na tarde desta quinta-feira, um minuto de silêncio em memória de Inês Sampaio, a jovem que morreu na madrugada de quarta-feira, vítima de sarampo.

Em ambiente de profunda consternação, amigos e colegas de Inês Sampaio reuniram-se por volta das 16.10 horas nas instalações da escola, assinalando em silêncio a dor pela partida da aluna do 12.º ano. Alguns não conseguiram conter as lágrimas, enquanto outros se juntavam em abraços de partilha. A cerimónia, organizada pela Associação de Estudantes, terminou com uma sentida salva de palmas de homenagem à estudante.

O silêncio foi aliás o que marcou o dia de aulas de hoje, com a maioria dos estudantes a não querer falar muito sobre a colega falecida. Ainda assim, sob anonimato, alguns disseram ao JN que Inês era uma "excelente colega", que "andava sempre de sorriso nos lábios" e que "nunca se metia em confusões".

Alguns dizem também ter conhecimento dos problemas de saúde da jovem, embora não se alarguem em pormenores. "Nunca lhe perguntei o que ela tinha exatamente, por uma questão de respeito, mas sei que ela não tomou a segunda dose da vacina, devido a esses problemas", contou um ex-colega de turma.

Inês Sampaio foi a única vítima mortal desde o início do surto de sarampo em Portugal, que, segundo Sérgio Gomes, coordenador da Linha Saúde 24 para Lisboa, já infetou 21 pessoas.

Os profissionais da Linha Saúde 24 avaliaram 29 pessoas com "sintomatologia de sarampo", nomeadamente febre, erupção cutânea e tosse/rinorreia, das quais 11 foram encaminhadas para as urgências hospitalares. Depois de avaliação clínica, não se confirmou a doença em nenhuma destas.

Sérgio Gomes adiantou que a componente de informação sobre saúde pública da Linha Saúde 24 prestou esclarecimentos a 210 utentes sobre sarampo.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado