Polémica

Polícia desmente mulher de Depp: "Não houve crime"

Polícia desmente mulher de Depp: "Não houve crime"

As autoridades visitaram a residência do casal, antes da providência cautelar de Amber Heard, declarando que "não houve sinais de crime".

Advogados de Depp apontam para a exigência de um acordo financeiro.

A polícia de Los Angeles visitou a casa dos atores Johnny Depp e Amber Heard a 21 de maio, antes de esta ter apresentado queixas de violência doméstica junto do tribunal, e de lhe ter sido concedida, consequentemente, uma providência cautelar por parte do juiz. As autoridades concluíram que "não houve sinais de que tivesse ocorrido um crime", assegura o The Independent.

"Não há quaisquer provas de um crime. Não ocorreu nenhum crime, portanto os agentes abandonaram a casa e deixaram um cartão-de-visita", foi a conclusão da polícia, dada à revista People, depois das autoridades terem sido chamadas à residência. O Departamento de Los Angeles revelou ainda que a pessoa responsável pela chamada não quis preencher uma queixa-crime.

Amber Heard revelara na sessão de concedimento da providência cautelar que entrepôs contra Depp que vive com medo do protagonista de "Piratas das Caraíbas": "Tenho muito medo do Johnny e temo pela minha segurança". Entretanto, os atores Mickey Rourke e Paul Bettany insurgiram-se em defesa do ator de 52 anos, garantido que Depp não era um homem violento. A ex-mulher de Johnny, Lori Anne Allison, juntou-se ao coro de apoio ao ex-marido, declarando que ele é uma pessoa muito meiga.

"Tenho conhecido o Johnny Depp ao longo dos anos e ao longo das várias relações que tem tido. Ele é o homem mais querido, meigo e carinhoso que alguma vez conheci. Estou só a dizer o que sei", escreveu o ator Paul Bettany, que trabalhou recentemente com o guitarrista de Hollywood Vampires, no filme "O Excêntrico Mortdecai".

Recorde-se de que Heard, de 30 anos, já havia iniciado um pedido unilateral de divórcio, no dia 22 de maio, apenas 15 meses depois de se ter casado com o artista e dois dias depois da morte da mãe de Johnny Depp. A atriz justificara a ação com "diferenças irreconciliáveis" entre os dois.

A resposta dos advogados às acusações de Amber Heard apontam para "uma motivação para um acordo financeiro do divórcio", uma vez que a atriz "teve atenção negativa por parte dos meios de comunicação social" depois do anúncio da separação.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado