Música

A viagem musical dos Lavoisier ao Reino Maravilhoso de Torga

A viagem musical dos Lavoisier ao Reino Maravilhoso de Torga

"Viagem a um Reino Maravilhoso" é o novo disco do duo lisboeta Lavoisier que propõe uma travessia sonora pela poesia do escritor transmontano Miguel Torga.

Patrícia Relvas e Roberto Afonso fizeram as malas e mergulharam no universo torguiano para transformar poemas em canções e criar um álbum conceptual que é lançado, oficialmente, a 4 de novembro.

A "viagem" começou há dois anos com um convite da Transa Cooperativa Cultural para "musicar Miguel Torga".

"Começamos com três poemas para perceber se estávamos no caminho certo. Correu bem e decidimos avançar", conta Roberto. O processo incluiu duas residências artísticas em São Martinho de Anta, Sabrosa, terra natal do escritor indicado várias vezes para Prémio Nobel da Literatura, e incluiu passagem por locais referenciados na sua obra. "Percebemos na pele o que é o frio e o calor transmontano e tudo aquilo que de que ele fala na sua poesia", revela.

A escolha dos poemas aconteceu quando os dois músicos se conseguiram "encontrar com Torga". "Não houve um método e quisemos até fugir a isso. Escolhemos aqueles que queríamos muito cantar, que tinham uma mensagem e que nos tocaram pela sua atualidade", sublinha Patrícia. Dois dos oito temas do disco contam com a participação da Orquestra Fantástica do Futuro, composta por uma dezena de alunos do Conservatório de Música de Vila Real.

O álbum inclui ainda retratos sonoros do artista e sonoplasta português João Bento, que captou sons em diferentes localidades e espaços relevantes para Miguel Torga. "O João Bento faz um interlúdio entre os temas. Quisemos fazer um álbum conceptual contínuo, sem interrupção entre temas", explicou Roberto.

O disco foi gravado e misturado por José Fortes, que trabalhou com nomes históricos da música portuguesa, desde Carlos Paredes a Zeca Afonso. "Foi muito bonito ver o José Fortes, com toda a experiência que tem, a gravar miúdos com 12 ou 13 anos", destaca Patrícia.

PUB

A própria capa do álbum, que é composto por oito temas, é um tributo ao negrilho, uma árvore majestosa retratada na obra de Torga e que secou pouco tempo depois da morte do escritor, em 1995. As sessões de gravação decorreram no Espaço Torga, em São Martinho de Anta, e no Conservatório de Música de Vila Real.

A estreia em palco de "Viagem a um Reino Maravilhoso" acontece este sábado, no Teatro de Vila Real. O disco terá edição exclusiva em formato vinil e limitada a 300 exemplares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG