minho

A7 liga Cidade-Berço

A7 liga Cidade-Berço

O presidente da Câmara de Guimarães considera que a nova auto-estrada A7/IC5, que liga a Cidade-Berço a Vila Pouca de Aguiar, é "fundamental para a região". A nova via, de 41 quilómetros, com portagem, abriu ao trânsito à meia-noite.

Segundo António Magalhães, a importância deste troço da A7-IC5 decorre da melhoria das condições de acesso ao interior e a Espanha. Nessa medida, adiantou o edil, a auto-estrada constitui uma mais-valia para as empresas que trabalham com o mercado externo. A ligação rodoviária até à fronteira era complexa e onerosa, até aqui. A A7-IC5 vai permitir a penetração para o interior e para Espanha, em melhores condições, argumentou o autarca.

O troço da A7/IC5 Guimarães-Vila Pouca de Aguiar abriu ao trânsito à meia-noite, mas sem cerimónia de corta fita. Que fica para Janeiro, à espera de disponibilidade de agenda do Governo. A Aenor (concessionária da via) decidiu avançar com a abertura numa quadra marcada por intenso tráfego rumo ao interior e para rentabilizar o esforço financeiro dispendido nesta via de traçado complexo.

O novo troço, de 41 quilómetros com portagem, liga a A7 ao interior (já ligava a Póvoa de Varzim a Guimarães), contando com nós em Calvos, Fafe, Arco de Baúlhe e Ribeira de Pena. O traçado percorre vários concelhos - Guimarães, Fafe, Felgueiras, Celorico, Mondim de Basto e Ribeira de Pena -, atravessando zonas sinuosas, o que obrigou a um número elevado de obras de arte, como os 22 viadutos. Mesmo assim, a construção (que começou em Setembro de 2003) foi concluída em tempo considerado recorde. Em Novembro de 2004, abriu o troço de 20 quilómetros, entre Fafe-Basto.

Durante as obras, sucederam-se os protestos das populações das freguesias mais afectadas. No caso do território de Guimarães, Candoso S. Martinho (um enclave no meio de auto-estradas), Gémeos e Abação foram algumas das mais atingidas e onde se verificaram protestos, devido a estragos e atrasos no pagamento das expropriações.