lusa

Biocombustíveis: Brasil vai produzir electricidade a partir de capim

Biocombustíveis: Brasil vai produzir electricidade a partir de capim

Paulo Dias Figueiredo, da Agência Lusa

Piracicaba, São Paulo, 19 Jul (Lusa) - O Brasil vai ter, a partir do próximo ano, a primeira termo-eléctrica mundial alimentada a capim, no Estado da Baía.

O contrato para o investimento de 80 milhões de reais foi selado na quarta-feira ao final do dia em Piracicaba, Estado de São Paulo, durante a maior feira do sector do etanol brasileiro, o Simtec.

A tecnologia para a Usina de São Desidério, na Baía, será fornecida pela Dedini, uma das principais empresas de equipamentos industriais para o sector alcooleiro, que tem como cliente a Sykué Bioenergia.

Ana Maria Diniz, da empresa cliente, afirma que o objetivo do grupo baiano é "replicar em 10 vezes a capacidade desta primeira usina, que é de 30 megawatts, chegando a 300", através da instalação de novas unidades.

A matéria-prima, capim elefante, "foi escolhida devido a sua alta capacidade de receber de energia solar e transformar em matéria celulósica, através de um ciclo de produção completamente limpo, renovável e economicamente viável", afirma.

O projecto permite ainda a obtenção de crédito de carbono no montante de um milhão de toneladas ano, que poderão ser vendidos no mercado internacional, gerando lucros adicionais aos da venda de electricidade no mercado livre.

A unidade deverá estar operacional em Dezembro de 2008, segundo os promotores.

Para o "designer" do projeto, Paulo Puterman, a biomassa "pode ser um caminho eficaz para a crise anunciada que o Brasil vive na produção e distribuição".

A principal fonte da geração de biomassa no Brasil são hoje os resíduos da produção de cana-de-açúcar.

Actualmente, a capacidade de geração através desta matéria-prima está nos 45 quilowatts por tonelada mas poderá triplicar nos próximos anos, graças ao melhor aproveitamento dos resíduos, incluindo o processamento da própria palha e das folhas da cana, para produção alcoól celulósico.

PDF.

Lusa/Fim

ver mais vídeos