Arte Contemporânea

Yoko Ono no Porto em abril para exposição em Serralves

Yoko Ono no Porto em abril para exposição em Serralves

O JN já o tinha noticiado, mas o Museu de Arte Contemporânea de Serralves só confirmou oficialmente esta quinta-feira: Yoko Ono vai ter uma exposição no Porto, agendada para abril. Está ainda previsto que a artista venha à cidade e que participe em performances.

Ono é "a cara da multidisciplinariedade artística", sublinhou Philipe Vergne, diretor artístico do Museu, e "é uma das mais importantes artistas internacionais" que introduziu "liberdade a cada disciplina artística", na forma de "declaração política" e integrou "o movimento artístico mais radical da segunda metade do século XX, Fluxus".

Yoko Ono, inscrita na história popular como a mulher do Beatle John Lennon, tem também um percurso de seis décadas na arte contemporânea, com obra espalhada pelo Mundo. A Serralves vai trazer "O jardim-escola da Liberdade", uma "vasta exposição dedicada ao trabalho da artista", explica o programa da Fundação, "onde são reunidos objetos, obras em papel, instalações, performances, gravações em áudio e filmes, além de materiais de arquivo raramente vistos".

"A mostra", explica Serralves, é organizada em colaboração com o "Studio One, Nova Iorque" e apresenta "uma visão abrangente da produção múltipla desta artista pioneira da arte conceptual e da performance que, durante os primeiros anos de sua extensa carreira, viveu entre Nova Iorque, Tóquio e Londres". Será a primeira grande apresentação de Yoko Ono em Portugal.

A programação de 2020 da Fundação está a ser anunciada pela presidente do Conselho de Administração da Fundação, Ana Pinho, e por Phillipe Vergne, o diretor artístico do Museu. O alinhamento de 2020 é o primeiro a ser da responsabilidade de Vergne desde que assumiu funções, no início de 2019. NO ano passado, o diretor geriu a programação definida pelo seu antecessor, João Ribas.

Está também confirmado outro nome já avançado pelo JN: o artista norte-americano Arthur Jafa, que tinha já passado pelo Porto no âmbito do Forum do Futuro, e que agora regressa à Invicta com a mostra "Uma série de interpretações absolutamente improváveis, ainda assim extraordinárias". Jafa, cineasta que explora as tensões históric-raciais dos EUA, venceu a Bienal de Veneza em 2019.

Para esta exposição, a sua primeira em Portugal, Jafa convidou a fotógrafa Ming Smith e a artista plástica Frida Orupabo, e incluiu material do canal no Youtube de Missylanyus para "construir em som e imagem uma experiência que seja ao mesmo tempo politicamente refletiva e visionária", explica o programa. Jafa que já colaborou com nomes como Spike Lee ou Stanley Kubrik, produz obra "criada no presente com a história dos EUA como pano de fundo. Através do cinema, fotografia e materiais encontrados, investiga acontecimentos da história afro-americana".

"Miró e a Poesia" no outono

A Casa de Serralves volta a receber uma exposição de Miró, baseada na coleção de obras do catalão depositada na Fundação (vinda do BPN). "Miró e a Poesia" será inaugurada no próximo outono e volta a ser comissariada pelo especialista Robert Lubar Messeri, o mesmo responsável por "Materialidade e Metamorfose" e "Joan Miró e a Morte da Pintura", as anteriores mostras do pintor em Serralves.

As obras de adaptação da Casa de Serralves , um projeto da autoria de Álvaro Siza, vão ser feitas este ano, confirmou também a Fundação.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG