Álvaro Siza

Álvaro Siza projeta no Porto maior arquivo nacional de arquitetura

Álvaro Siza projeta no Porto maior arquivo nacional de arquitetura

Arquiteto é autor de novo edifício para reunir espólios da Fundação Marques da Silva e da Universidade

A Fundação Marques da Silva (FMS) quer construir um novo Centro de Documentação, projetado por Álvaro Siza Vieira, para acolher o espólio pessoal e profissional de alguns dos mais conhecidos arquitetos portugueses.

O ponto de partida para o novo espaço, que tem um orçamento estimado em quatro milhões de euros, será a assinatura do protocolo entre a Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto e a FMS, a 13 de março, que determina a fusão dos arquivos das duas instituições. O edifício precisará, idealmente, de três anos para ser edificado e para esse fim será lançada uma campanha de mecenato e de candidaturas a fundos europeus.

O projeto será desvendado no dia da assinatura e, caso as expectativas de financiamento se cumprirem, será construído nos jardins do palacete da Fundação, na Praça do Marquês. "Já não temos capacidade nas instalações para mais acervos e então tomámos esta decisão de nos expandirmos e sermos o maior centro de documentação do país", explica ao JN Fátima Vieira, presidente da FMS e vice-reitora da Universidade do Porto. Atualmente, o espólio está distribuído por diferentes edifícios e a sua concentração permitirá a conservação de um acervo que reúne trabalhos de 50 arquitetos. Entre eles estão nomes sonantes como Fernando Távora, José Carlos Loureiro, Arménio Losa, Viana de Lima, Alcino Soutinho ou Hestnes Ferreira. O arquivo inclui documentos relacionados com obra arquitetónica, mas ainda coleções de arte e património construído.

Pai do Porto Moderno

Também o espólio do arquiteto Marques da Silva, "o pai da versão moderna da cidade do Porto", como nota a a responsável, estará representado. Marques da Silva foi o autor da Estação de S. Bento, do Teatro Nacional São João ou da Casa de Serralves, entre outros edifícios icónicos da Invicta.

Para assinalar os 150 anos do nascimento do arquiteto Marques da Silva, a FMS irá inaugurar duas exposições, no dia 14. "Uma oportunidade para as pessoas do Porto descobrirem o palacete cor-de-rosa que se esconde atrás do muro em frente ao Colégio da Paz, no Marquês", comenta a presidente da instituição.

PUB

"Siza - Inédito e Desconhecido" é uma mostra de desenhos do arquivo pessoal do arquiteto, que se inaugura em Portugal, depois de ter estado na Tchoban Foundation, em Berlim, no ano passado. Na Casa-Atelier Marques da Silva estarão patentes esquissos, fantasias arquitetónicas e retratos, bem como esculturas de Álvaro Siza, nunca antes exibidas, e obras da sua mulher, Maria Antónia Siza. A segunda mostra, "Mais que arquitetura", tem curadoria de Luís Urbano, vice-presidente FMS, e mostra peças inéditas, fotografias, cinema, colecionismo e viagens dos arquitetos.

As exposições estarão patentes até ao dia 26 de setembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG