Festival DDD

Debaixo do céu de Gustavo Ciríaco, nos Dias da Dança

Debaixo do céu de Gustavo Ciríaco, nos Dias da Dança

Gustavo Ciríaco é um recoletor. O artista brasileiro baseia-se no trabalho de outros e em coletivo recria novas possibilidades. "Paisagem em linha" é uma obra sua com a coreógrafa brasileira Luciana Lara que toma este domingo de assalto o átrio do Museu de Serralves.

O coreógrafo brasileiro Gustavo Ciríaco assume-se como um artista contextual (isto é, que trabalha com a intervenção do público) e une-se desta feita à conterrânea Luciana Lara para mimetizarem a paisagem de umas férias de verão. "Do planalto central brasileiro para o desfiladeiro montanhoso da Serra da Mantiqueira, da cidade planeada para o mundo dos volumes naturais."

No Museu de Arte Contemporânea de Serralves, no Porto, um grupo de intérpretes recria de uma forma lúdica as linhas abstratas de uma paisagem. A mesma paisagem do cenário da infância de Lara. A performance "Paisagem em linha" é a segunda obra do projeto Cobertos pelo céu de Gustavo Ciríaco.

PUB

Cobertos pelo Céu começou a ser construído em 2018. Nele, Ciríaco revisita as experiências de artistas de diferentes latitudes, como os portugueses Jonathan Uliel Saldanha (música e multimédia), Cláudia Dias (dança) e João Gabriel Oliveira (pintura); os brasileiros Luciana Lara, João Saldanha e Michelle Moura (dança); a alemã Siegmar Zacharias (teatro); a inglesa Rosie Heinrich (artes visuais), as argentinas Ana Laura Lozza e Barbara Hang (dança); e a chilena Javiera Péon-Veiga (dança e performance). Ao mergulhar nas suas obras e ao encetar novos diálogos, Gustavo Ciríaco constrói territórios comuns assentes em linguagens híbridas.

Com um importante trajeto internacional, incluindo passagens pelas Américas e Ásia, Europa e Médio Oriente, o seu trabalho tem passado por festivais e instituições como Tanz im August e Haus der Kulturen der Welt (Berlim), Crossing the Line (Nova Iorque), Al Mammal Foundation (Jerusalém), Tokyo Wonder Site (Tóquio), San Art Gallery (Saigão), Ferme de Buisson, Paris l"Été (Paris), SESC SP (São Paulo), Panorama (Rio de janeiro), NAVE (Santiago), Bienal de Danza del Caribe (Havana), Casa Encendida (Madrid) e Metropolis (Copenhaga).

Luciana Lara, a artista cuja obra é aqui visitada, dirige a Anti Status Quo Companhia de Dança. O seu trabalho híbrido e experimental dá frutos em instalações coreográficas, intervenção urbana e site specific.

"Paisagem em linha" de Gustavo Ciríaco e Luciana Lara, domingo 24 no Museu de Serralves (Porto), às 17 horas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG