Coronavírus

Gulbenkian cria fundo de emergência de cinco milhões

Gulbenkian cria fundo de emergência de cinco milhões

O Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian criou um fundo de emergência no valor de cinco milhões de euros, para "reforçar a resiliência da sociedade nos principais domínios de intervenção da Fundação."

Em comunicado enviado às redações a Gulbenkian especifica os apoios se destinam "a cinco áreas: Saúde, Ciência, Sociedade Civil, Educação e Cultura."

"Num momento de excecional gravidade, a Fundação Calouste Gulbenkian, fazendo jus à sua missão, reforça a sua atividade num contributo para combater uma pandemia que põe em causa a sociedade como sempre a conhecemos", afirma no comunicado Isabel Mota, presidente da Fundação

No setor cultural, o fundo vai apoiar "artistas ou entidades de produção artística que viram os seus projetos cancelados, nas áreas em que a Fundação habitualmente atribui apoios, sob a forma de uma reposição parcial dos rendimentos perdidos, contribuindo para fazer face a despesas de subsistência", explica a Fundação, que também se decidiu pela "manutenção e flexibilização dos apoios à criação já concedidos ou em processo de aprovação, permitindo a sua redefinição e recalendarização, de modo a garantir a permanência das estruturas de produção afetadas."

Na Saúde a intenção é reforçar contribuir "para colmatar a escassez de material de proteção e equipamento médico, seja através da promoção ativa da "identificação de casos, tendo em vista reforçar a estratégia de contenção e preparar o retorno à vida social.", seja no 3. Apoio a soluções de base tecnológica de implementação rápida, plataformas e apps, dirigidas ao acompanhamento à população".

Na área da Educação, a prioridade vai para" o apoio aos estudantes carenciados que lhes permita um acesso ao ensino a distância durante o encerramento das escolas" e para reforçar as bolsas "destinadas a estudantes com menos recursos financeiros que se candidatam pela primeira vez à universidade, com média de entrada superior a 18 valores".

Para a Sociedade Civil a maior aposta vair para o "lançamento do projeto Gulbenkian Cuida", destinado a a entidades que prestam apoio a idosos, um dos grupos de maior risco, em parceria com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS).

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG