Cultura

BB King põe Sabrosa pelas costuras

BB King põe Sabrosa pelas costuras

O concerto de BB King, esta noite, em Sabrosa, promete. Às quatro da tarde já havia centenas de pessoas espraiadas na relva à frente do palco. Essencialmente jovens. Uns a conversar, outros a namorar, muitos a beber. A música brotava das colunas e compunha a tarde de sol.

Um pouco mais abaixo, uma fila de tasquinhas trata de promover os produtos da região, com destaque para o vinho. É por lá que se regista o maior corrupio. No palco, um speaker anuncia o que vai acontecer durante a noite. Primeiro o concerto da banda lisboeta de blues, os The Ramblers, depois BB King e a fechar Spinning, de Vila Real. Entre os dois primeiros concertos uma procissão religiosa, que é tradição na terra e que se destaca por percorrer ruas totalmente atapetadas a flores.

Os The Ramblers são seis rapazes e uma rapariga com média de idades a rondar os 20 anos e que há pouco disseram, ao JN, estarem a sentir um “nervoso miudinho”. Nada de estranhar, ou não fossem fazer a primeira parte do concerto de BB King. “Uma das nossas grandes influências. O nosso ídolo”, sublinhou o baixista Luís Nunes. A tal ponto veneram o guitarrista americano que se ofereceram à organização para tocar de borla. A Câmara apenas lhes garante algumas recompensas mas não há cachet monetário. O seu sonho é que BB King os receba ainda hoje.

O ambiente é de festival de Verão. Mas com mais qualquer coisa. A assistência é invulgarmente heterogénea. Luís Costa, Francisco Gomes, Miguel Maia e Flávio Moura, com 16 e 17 de idade. Vieram do Porto de propósito. Porquê? “Porque é uma lenda viva dos blues. Vivemos num mundo em que a música tem cada vez menos originalidade e BB King é um rei. Um mestre que tocou com Eric Clapton… temos de aproveitar. E ainda por cima de borla!” referiram ao JN.

Estes jovens passaram a tarde a jogar à bola, que compraram por um euro, enquanto Carina Castro, 28 anos, tinha chegado há pouco a Sabrosa, depois de um voo directo entre Portimão e o Porto, de onde seguiu de carro para o concelho duriense. “BB King é uma lenda. É o rei. É inédito em Trás-os-Montes e ainda por cima grátis!” Carina viajou com Cláudia Rabaçal, 27 anos. “Acho que é bonito uma pessoa com 84 anos continuar a dar concertos. Arrasta multidões e é uma grande iniciativa para promover o nosso Douro”. Fala assim porque tanto uma como outra são naturais de Carrazeda de Ansiães, em pleno Alto Douro Vinhateiro, Património Mundial.

A esta hora, as ruas que dos parques de estacionamento, na zona industrial de Sabrosa, levam ao parque das piscinas cobertas, onde vão decorrer os concertos, parecem rios de gente, pelo que tudo leva a crer que a previsão inicial de 5 a 7 mil pessoas vai ser rapidamente esquecida. A organização arrisca umas 15 mil. É o que se vai ver não tarda muito.

ver mais vídeos