Artes/Etc

Diretor do Museu de Serralves demite-se

Diretor do Museu de Serralves demite-se

O diretor artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, João Ribas, apresentou esta sexta-feira a demissão à Fundação de Serralves, confirmou o JN.

Em causa estará a decisão de colocar uma zona de restrição etária na exposição de Robert Mapplethorpe, comissariada por si, inaugurada na quinta-feira.

João Ribas tinha garantido que o museu faria um aviso sobre o potencial de choque das obras, mas não teria salas com limitações etárias, porque "um museu não pode dizer o que as pessoas podem ou não ver".

Nem o Museu, nem a Fundação emitiram nenhuma confirmação oficial, nem quiseram prestar declarações, mas o JN apurou que foi essa polémica a gota de água numa relação que já se sabia estar nos limites.

O fotógrafo norte-americano notabilizou-se por explorar os limites da arte e do que é aceitável ser exposto publicamente, nomeadamente através do uso do corpo nu dos seus modelos e das suas compulsões sexuais, que retratou sem reservas e em movimento de provocação permanente de polémicas.

Ao contrário do que tinha sido anunciado por Ribas, no dia da inauguração surgiu na exposição uma zona que, para além de anunciar que ali se mostram obras que podem ferir os mais sensíveis, se avisa que a admissão "está reservada a maiores de 18 anos", uma limitação maior do que a que se anunciava à entrada do museu, onde um placard diz que "a admissão de menores de 18 anos está condicionada à companhia de um adulto".

A imposição da restrição, depois de Ribas ter afirmado, ao "Público," que na mostra não haveria lugar para "censura, obras tapadas, salas especiais ou qualquer tipo de restrição a visitantes de acordo com a faixa etária", levou ao pedido de demissão do diretor artístico, que se terá sentido desautorizado.