1930-2018

Morreu o poeta Albano Dias Martins

Morreu o poeta Albano Dias Martins

O poeta, escritor e tradutor Albano Dias Martins morreu, esta quarta-feira, aos 87 anos.

A notícia da morte foi confirmada ao JN por fonte da editora, a Edições Afrontamento.

O funeral do poeta está marcado para quinta-feira, às 16 horas, saindo de Mafamude, Vila Nova de Gaia, onde residia.

Docente na Universidade Fernando Pessoa, do Porto, Albano Martins nasceu em 1930 na aldeia do Telhado, concelho do Fundão, e a sua obra está publicada em cerca de duas dezenas de livros de poesia e em diversas antologias e obras coletivas.

Licenciado em Filologia Clássica pela Universidade de Lisboa, Albano Martins é autor de obras como "Secura Verde" (1950), "O Oiro do Dia" (1979), "Os remos escaldantes" (1983), "Uma colina para os lábios" (1993) e "Escrito a vermelho" (1999).

Em 1986, foi distinguido pela Sociedade Brasileira de Língua e Literatura, do Rio de Janeiro, com a medalha Oskar Nobiling de mérito cultural durante o XVIII Congresso Brasileiro de Língua e Literatura.

O ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, lamentou a morte do poeta. "Autor rigoroso, que nunca fez concessões ao facilitismo, lutando, pelo contrário, pela exigência da palavra escrita, colaborou em muitos jornais e revistas nacionais e espanhóis", lê-se numa nota de pesar, na qual envia condolências à família.

O responsável da pasta da Cultura frisa ainda que Albano Martins se destacou na tradução de autores de língua espanhola, como Pablo Neruda, Nicanor Parra e Rafael Alberti, e na de poesia greco-latina, representada na "Antologia Palatina" e na "Antologia de Planudes".

ver mais vídeos