SIC

SIC cobre ordenado de 40 mil euros por mês para roubar Cristina Ferreira à TVI

SIC cobre ordenado de 40 mil euros por mês para roubar Cristina Ferreira à TVI

Para garantir Cristina Ferreira na sua antena, a SIC teve de cobrir a remuneração ganha pela apresentadora na TVI. Ao valor da prestação de serviços acresce ainda uma percentagem da publicidade emitida nos programas que conduz, sabe o JN.

Daniel Oliveira conseguiu concretizar um desejo há muito ansiado pela SIC: ter Cristina Ferreira no seu lote de apresentadoras. Mas, para isso, o diretor geral de entretenimento do canal teve de garantir à comunicadora uma remuneração superior à acordada com a TVI, onde estava há 16 anos.

A agora ex-companheira de Manuel Luís Goucha no "Você na TV" foi seduzida pelo desafio de revitalizar as manhãs da estação de Carnaxide, mas também por valores que ultrapassam em muito o meio milhão de euros por ano.

Um cenário impensável até agora. "Podemos sonhar, mas precisamos de dinheiro para concretizar os sonhos, o que não significa que tenhamos dinheiro para o fazer. Não estamos em Hollywood, nem a SIC é o Real Madrid ou o Benfica", dizia Júlia Pinheiro à revista Notícias TV em 2013.

Um ano depois, à mesma publicação, entretanto descontinuada, Rosa Cullell, administradora da Media Capital, detentora da TVI, garantia que, enquanto estivesse nesse cargo, Cristina Ferreira não abandonaria a estação de Queluz de Baixo. Afirmava, ainda, que uma mudança da apresentadora para Carnaxide seria "profissionalmente pouco inteligente".

O pior pesadelo da TVI e o maior sonho da SIC acontecem agora, apenas quatro meses depois de a própria "saloia da Malveira", como Cristina gosta de se chamar, ter frisado à N-TV estar de pedra e cal em Queluz de Baixo. "Estou muito feliz na TVI, tal como sempre estive. (...) Eu e os dirigentes da TVI sabemos como estamos a preparar o futuro", assegurou na altura.

ver mais vídeos