O Jogo ao Vivo

Cinema

Pai e filha: memória de um passado em "Aftersun"

Pai e filha: memória de um passado em "Aftersun"

O surpreendente filme de estreia da escocesa Charlotte Wells chega esta quinta-feira às salas de cinema. O ator Paul Mescal está nomeado para um Oscar.

De vez em quando há um filme assim, que nos devolve a confiança no cinema. Num cinema que nos fala, nos toca, nos comove e perturba. É assim "Aftersun", primeira longa-metragem da jovem escocesa Charlotte Wells, estreada na Semana da Crítica de Cannes.

O prémio que aí conquistou foi o primeiro de vários e o filme considerado um dos melhores do ano. O seu impacto culmina agora, por coincidência, a dois dias da estreia em Portugal, com uma nomeação para o Oscar de melhor ator.

PUB

Paul Mescal é um ainda jovem ator irlandês, que conhecemos de um pequeno papel em "A filha perdida", e que aqui dá mostras de um enorme talento. Mescal é perfeito na pele de Calum, o pai de Sophie, personagem de 11 anos, exatamente a mesma idade da escocesa Frankie Corio, que enche o ecrã com o seu magnetismo.

A alma destas duas personagens começa por ser revelada em pequenos vídeos domésticos, feitos na década de 1990, com aquelas câmaras com que se captavam momentos especiais, como aniversários ou férias em família e que hoje se tornaram completamente obsoletas, substituídas que foram pelas câmaras cada vez mais sofisticadas dos telemóveis.

Calum e Sophie passam férias numa velha estância balnear na Turquia e enquanto a jovem se confronta com os primeiros sinais da sexualidade ali mesmo à mão e o pai mostra sinais de não estar bem na sua pele. Afinal, e apesar de dizer à mãe de Sophie que a ama nos breves contactos telefónicos que mantém, o casal está separado.

Na estrutura narrativa muito livre, na forma de filmar, no que esconde mais do que mostra, "Aftersun" é um filme aberto a muitas leituras. Por vezes não percebemos o que se está a passar, mas sentimos. "Aftersun" é um filme de emoções.

Calum diz à filha que a sua vida está apenas a começar. Percebe-se que a sua própria existência poderá não continuar. O adeus à filha, visto através de um desses vídeos, é um momento dilacerante. E percebe-se então que é Sophie, já adulta, que redescobre essas imagens, e um pai de que seguramente sente muita falta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG