Parlamento

"Se houver falsos recibos verdes, governo vai atuar" na Casa da Música

"Se houver falsos recibos verdes, governo vai atuar" na Casa da Música

Graça Fonseca, em audição no Parlamento, diz que vai esperar ação inspetiva da ACT para tomar uma decisão

As perguntas dos deputados foram muitas, mas as respostas da ministra da Cultura sobre a crise na Casa da Música foi sempre a mesma. Antes de se pronunciar, "o Governo vai esperar pelos resultados da inspeção da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT)", que está a averiguar a existência de abusos laborais na instituição portuense.

Mas, apesar de não se desviar desse guião, Graça Fonseca deixou um aviso: "Se a ACT apurar a existência de falsos recibos verdes e de relações laborais irregulares, naturalmente que o governo agirá".

O mantra repetido ao longo da hora e meia, numa audição requerida pelo Partido Comunista Português no âmbito da Comissão da Cultura e Comunicação, não convenceu os deputados, que lembraram à ministra que a inspetora-geral da ACT, Luísa Guimarães, tinha já declarado, também na mesma comissão, que existem "indícios de falsos recibos verdes" na instituição. Uma hipótese que tinha sido antes negada publicamente por José Pena Amaral, presidente do Conselho de Administração da Fundação.

Graça Fonseca manteve sempre a mesma toada, sublinhando querer respeitar a instituição, a autoridade inspetiva, os trabalhadores e o COnselho de Administração.