Sugestões

Vinhos: Península de Setúbal, terroir diferenciado

Vinhos: Península de Setúbal, terroir diferenciado

Duas propostas de uma região que oferece mais do que boa relação qualidade/preço

Ao falar da região da Península de Setúbal, muitas vezes pensamos em vinhos de supermercado, com uma boa relação qualidade/preço e sempre uma compra segura. No entanto, a Península de Setúbal é muito mais do que isso, tem dos terroirs mais diferenciados de Portugal, não só pela proximidade do mar. Situa-se entre dois grandes rios portugueses (Tejo e Sado), o que já por si origina condições meteorológicas muito distintas. E tem as castas da região adaptadas aos diferentes tipos de solos existentes.

O Moscatel de Setúbal e Moscatel Roxo, plantados na serra da Arrábida, são frescos e aromáticos. E combinados com os Moscatéis das areias da região do Poceirão e Fernão Pó, mais doces e estruturados, equilibram-se entre si, originando um dos melhores vinhos fortificados a nível mundial.

A casta castelão, plantada nas areias de Fernão Pó e Poceirão, dá origem aos melhores vinhos desta casta a nível nacional, reconhecidos internacionalmente. Durante alguns anos, a casta castelão, assim como a casta baga da Bairrada, foi maltratada pelos próprios produtores e ficou com alguma fama negativa. Atualmente, alguns produtores da região estão a produzir grandes vinhos desta casta, recuperando uma grande riqueza da região.

Piloto Collection Roxo | Branco | 2018

O Piloto Collection Roxo é o único vinho branco seco em todo o Mundo elaborado por esta casta, que há alguns anos esteve em vias de se extinguir. É um vinho que expressa bem o terroir da região, sendo fresco, salino e com aromas intensos de fruto tropical, mas sem nunca perder a mineralidade e a acuidade gastronómica. É sem dúvida um vinho a conhecer, ótimo para acompanhar comidas asiáticas, como caril ou sushi.

Quinta do Piloto Coleção de Família | Tinto | 2018

O Quinta do Piloto Coleção de Família tinto é um grande vinho da casta castelão, feito a partir de vinhas com mais de 75 anos de idade, produzido em ânforas argelinas e estagiado 24 meses nas melhores barricas de carvalho francês da nossa casa. É sem dúvida um vinho memorável.

PARA A SEGUNDA SÉRIE DESTA RUBRICA, O JN DESAFIA OS PRODUTORES A APRESENTAREM OS SEUS VINHOS, aos domingos, na edição impressa.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG