Copa América

Brasil supera a passo a Venezuela de Peseiro

Brasil supera a passo a Venezuela de Peseiro

O anfitrião Brasil iniciou, este domingo, com uma tranquila vitória por 3-0 sobre a Venezuela, de José Peseiro, a defesa do título na Copa América em futebol, em Brasília, no jogo de abertura, sem público.

Num embate em que os venezuelanos começaram a perder antes de jogar, com uma série de positivos ao novo coronavírus que só permitiram apresentar três dos titulares do recente 0-0 com o Uruguai, o onze de Tite limitou-se a esperar pelos golos.

O central Marquinhos, aos 23 minutos, na sequência de um canto, abriu o marcador, Neymar, a grande estrela da formação canarinha, acabou com as dúvidas, de grande penalidade, aos 64, para, aos 89, Gabriel Barbosa apontar o terceiro, com o peito.

Sem precisar de acelerar, o Brasil somou, assim, os primeiros três pontos no Grupo B, perante uma Venezuela que fez o que pôde, mostrando boa organização defensiva, mas sem capacidade para mais, para incomodar uma vez que fosse o guarda-redes Alisson.

A história do jogo foram as oportunidades que o Brasil foi construindo, e desperdiçando, as duas primeiras por Richarlison, aos oito e 10 minutos, e a seguinte por Éder Militão, que, após centro de Lodi, cabeceou ao lado, aos 11.

Os comandados de Tite só chegaram ao golo aos 23 minutos: Neymar marcou um canto na esquerda, Richarlison desviou de cabeça e, após um ressalto num defesa venezuelano, a bola foi parar a Marquinhos, que conseguiu desviar de Graterol.

Até ao intervalo, destaque para um passe de Éder Militão a isolar Neymar, que falhou, aos 30 minutos.

PUB

Na segunda parte, o Brasil, com Alex Sandro e Everton Ribeiro nos lugares de Lodi e Lucas Paquetá, entrou apostado em chegar depressa ao segundo golo, que Richarlison desperdiçou aos 48 minutos e Neymar aos 53.

O inevitável aconteceu aos 64 minutos, num penálti cometido por Cumana sobre Danilo, que Neymar transformou no seu 67.º tento pela 'canarinha', em 106 jogos, colocando-se a apenas 10 do recorde do rei Pelé, que disputou 92 jogos.

Na parte final, o Brasil ainda desacelerou mais, sendo que Neymar poderia ter apontado o terceiro, aos 83 minutos, antes de, aos 89, servir o ex-benfiquista Gabigol, entrado aos 65, que empurrou a bola com o peito, à boca da baliza.

Ainda hoje, a Colômbia defronta o Equador, no outro encontro da primeira jornada do Grupo B, que inclui ainda o Peru.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG