O Jogo ao Vivo

Distritais

Associação de Futebol do Porto vai a jogo no fim de semana de 8 e 9 de maio

Associação de Futebol do Porto vai a jogo no fim de semana de 8 e 9 de maio

O presidente da A. F. Porto, José Manuel Neves, revelou que a vontade da esmagadora maioria dos clubes em voltar a competir foi importantíssima para a decisão de retomar, ainda que o formato das provas esteja por definir. Ajudas do governo vão significar cerca de 300 mil euros para a maior associação de futebol do país.

A confirmação que todos esperavam. A Associação de Futebol do Porto, uma das cinco indecisas quanto à retoma das competições, assumiu o regresso das provas, no fim de semana de 8 e 9 de maio, apesar de o formato das mesmas ainda não ser conhecido. Em entrevista ao Porto Canal o presidente, José Manuel Neves, confirmou a decisão anunciando o retorno dos treinos a 19 de abril e também a expectativa do regresso da formação acontecer na mesma data.

Numa altura em que as receitas dos clubes são cada vez mais escassas, o líder da A. F. Porto anunciou os valores das verbas que vão ajudar os emblemas a manter-se à tona, combatendo o "desaparecimento de alguns clubes", um problema no horizonte.

"O Governo vai dar um apoio no valor de 60 milhões ao futebol, dos quais 30 serão para os clubes e a outra metade vai para associações e federações. A A.F. Porto vai receber em média cerca de 1250 euros por clube, o que perfaz um total de 300 mil euros", começa por explicar o dirigente. "Esta medida só peca por tardia, visto que devido à falta de receitas com bilheteira, formação ou até do bar, há emblemas que nem sequer têm 20 euros para pagar o IUC da carrinha de transporte. Espero que o dinheiro chegue rápido", alertou.

Estas ajudas financeiras foram direcionadas para apoiar o desporto depois de a A. F. Porto, juntamente com a A. F. Lisboa e a A. F. Madeira, ter reunido com os partidos políticos, o que resultou numa revelação esclarecedora. "A maioria dos partidos não fazia ideia de quanta gente está envolvida no futebol distrital. Foi bom termos tido a chance de os relembrar desta questão", afirmou José Manuel Neves.

A pandemia veio alterar muitas coisas na vida quotidiana e a comunicação também sentiu esses efeitos. "Desde que isto começou passamos a adotar a via telemática para mantermos a proximidade com os nossos filiados. Começámos a utilizar muito mais outro tipo de plataformas como o Facebook ou o Instagram e acho que tem sido bastante benéfico para todos".

PUB

Quanto ao regresso do público aos recintos desportivos, a opinião do presidente da A. F. Porto vai no sentido de apelar a uma reflexão sobre a melhor maneira de fazer as coisas. " Não entendo como num estádio com capacidade para 5000 pessoas, por exemplo, não possam estar 200 adeptos. O público faz parte do espetáculo e das receitas de todos os emblemas e por isso não consigo entender porque é que outras atividades já tiveram assistência e o futebol não pode ter. Gostava de perceber qual é o critério", concluiu o líder da A. F. Porto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG