Futebol

Aves e Vitória de Setúbal desclassificados das competições profissionais

Aves e Vitória de Setúbal desclassificados das competições profissionais

A Comissão de Auditoria da Liga Portuguesa de Futebol Profissional reprovou, esta quarta-feira, os processos de licenciamento do Desportivo das Aves e Vitória de Setúbal às competições profissionais e ambos serão despromovidos ao Campeonato de Portugal. Decisão é passível de recurso para a federação.

"Pelo presente comunicado oficial, divulga-se que aferindo ao parecer da Comissão de Auditoria, datado de 28 de julho de 2020, constituída em cumprimento do artigo 11.º da portaria n.º 50/2013 de 5 de fevereiro, a Liga Portugal deliberou: 1. Admitir a candidatura das sociedades desportivas constantes na listagem anexa a participar nas competições profissionais. 2. Não admitir a candidatura das sociedades desportivas Vitória FC, SAD, a participar das Competições Profissionais na época 2020-21 com os fundamentos aduzidos ao parecer da Comissão de Auditoria, por incumprimento dos critérios financeiros. 3. Consequentemente, excluir o Vitória FC, SAD, da participação nas competições profissionais na época desportiva 2020-21 e, nos termos do n.º 4 do artigo 21 do RC convidar o Portimonense, Futebol SAD, a participar na competição da Liga NOS, cujos pressupostos de licenciamento cumpriu. 4. Não admitir a candidatura da sociedade desportiva CD Aves - Futebol SAD, a participar nas Competições Profissionais da época 2020-21, com os fundamentos aduzidos ao parecer da Comissão de Auditoria, por incumprimento dos critérios legais e financeiros. 5. Consequentemente, excluir o CD Aves - Futebol SAD, da participação nas competições profissionais na época desportiva 2020-21 e, nos termos do n.º 4 do artigo 23 do RC, convidar o Cova da Piedade - Futebol SAD e Casa Pia AC - Futebol SDUQ, Lda, a apresentar candidatura a participação a competição da LigaPro, no prazo que vier a ser fixado", esclarece a LPFP em comunicado divulgado no site oficial.

Segundo a Comissão de Auditoria, os sadinos não cumpriram três critérios: inexistência de dívidas a Sociedades Desportivas, inexistência de dívidas a jogadores, treinadores e funcionários e regularização da situação contributiva perante a Autoridade Tributária.

Já no que respeita aos avenses, o rol de critérios não cumpridos é consideravelmente mais extenso, tendo o clube falhado 15 pontos dos pressupostos, entre os quais demonstrações financeiras da SAD, identificação e relatório do ROC ou SROC, orçamento, compromisso de entrega das contas, inexistência de dívidas a SADs, inexistência de dívidas a jogadores, treinadores e funcionários, identificação dos gestores executivos, caução, regularização da situação contributiva perante a Autoridade Tributária e Segurança Social, programas de Sustentabilidade Económica e Financeira e contactos.

Aves e Vitória de Setúbal podem recorrer desta decisão para o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol, o qual terá efeitos suspensivos.

O documento anuncia ainda que o prazo de candidaturas do Cova da Piedade e Casa Pia começa esta quarta-feira

Outras Notícias