Fórmula 1

Expulsão para quem não cumprir distanciamento no autódromo de Portimão

Expulsão para quem não cumprir distanciamento no autódromo de Portimão

A organização do Grande Prémio de Fórmula 1 de Portugal vai reforçar o policiamento, este domingo, nas duas bancadas do Autódromo Internacional do Algarve, onde, na tarde deste sábado, espetadores desrespeitaram as indicações e não mantiveram o distanciamento imposto. Quem não seguir as regras estabelecidos será expulso do recinto.

Paulo Pinheiro, administrador do Automóvel Internacional do Algarve, confirmou ao JN que as bancadas "Portimão" e "Portimão 2, onde, na tarde deste sábado, se registaram ajuntamentos de espetadores além do permitido, terão domingo um assinalável reforço de policiamento e uma atitude intransigente.

"Quem não cumprir o que está assinalado nas bancadas e sair do seu lugar vai imediatamente para a rua", assegurou o responsável ao JN, a propósito das imagens registadas hoje durante parte da prova.

Paulo Pinheiro salienta que "o autódromo tem 11 bancadas e em nove correu tudo bem e nas outras duas mal". Reforça, por isso, o apelo aos espetadores que ocuparão os mesmos lugares para que cumpram o estabelecido, nomeadamente que não saltem linhas, nem saiam dos lugares marcados.

A qualificação para o Grande Prémio de Portugal, que decorreu na tarde deste sábado, proporcionou imagens de ajuntamentos em duas bancadas do Autódromo Internacional do Algarve, deixando algumas dúvidas sobre o cumprimento do distanciamento recomendado pelas autoridades de saúde.

À saída do autódromo, Alberto Fonseca, que viajou da zona de Leiria confessou que reparou, em alguns momentos, que "as pessoas estavam próximas", mas, ainda assim, como estavam a usar máscara, não se sentiu inseguro. "Os lugares, tal como foram planeados pela organização, estavam razoavelmente separados, mas, com o decorrer da prova, houve alguns que se foram aproximando", contou.

PUB

Já os jovens Gonçalo Koch, de 23 anos, e Gonçalo Nunes, de 18, ambos de Gondomar, asseguram que se sentiram "seguros". "Ao nosso lado não tínhamos ninguém. Pelo menos na nossa bancada, as pessoas estavam divididas consoante o grupo em que se inseriam e sempre com cadeiras de intervalo", disseram ao JN.

A par dos ajuntamentos na bancada, a saída do público das bancadas proporcionou também a formação de grupos numerosos, apesar dos corredores de saída estabelecidos, impedirem que os espetadores se cruzassem de frente.

Recorde-se que, na última quarta-feira, a lotação do Grande Prémio de Portugal foi reduzida para 27500 espetadores. Na altura, Graça Freitas, diretora-geral de Saúde, afirmou que "há um conjunto de regras que permitirá com segurança a realização deste Grande Prémio com público".

"Estará mantida a distância, não estão permitidos os cruzamentos entre pessoas, as aglomerações entre pessoas, a higiene está garantida, a ventilação existe porque é ao ar livre, a utilização de máscaras é obrigatória", justificou Graça Freitas.

Outras Notícias