Futebol

Cristiano Ronaldo arrisca ser acusado de crime por se juntar à seleção

Cristiano Ronaldo arrisca ser acusado de crime por se juntar à seleção

O capitão da seleção nacional desrespeitou as regras italianas de isolamento da covid-19 e está agora a contas com a justiça italiana.

Depois de terem sido detetados dois casos de infeção no staff da Juventus, Cristiano Ronaldo e todo o plantel da equipa italiana estavam em isolamento preventivo num hotel. Os atletas só podiam sair da unidade hoteleira para treinar e jogar e estavam proibidos de contactar com pessoas que não fossem do grupo, enquanto não fossem conhecidos os resultados do segundo teste à covid-19.

Ainda sem qualquer resposta, Cristiano Ronaldo deixou o hotel para se juntar esta terça-feira à seleção nacional. Mas não foi o único a desrespeitar as regras. Bentancur, Cuadrado, Danilo e Dybala viajaram para as respetivas seleções, enquanto Buffon e Demiral foram para casa.

Os sete atletas estão agora a contas com a justiça e podem ser acusados de crime. Roberto Testi, diretor da delegação de Turim da Autoridade de Saúde Italiana, referiu que o clube "o informou que vários atletas deixaram o local de isolamento" e que por isso foram "notificados".

"Foi o clube, que tem tido um comportamento excelente, que nos disse que alguns jogadores deixaram o local de isolamento. Por isso, iremos notificar a autoridade competente, ou seja, o Ministério Público, do ocorrido. Caberá agora aos magistrados avaliar se houve crime", afirmou.

Outras Notícias