Processo

Quem é David Chesnoff, o advogado das estrelas contratado por Cristiano Ronaldo

Quem é David Chesnoff, o advogado das estrelas contratado por Cristiano Ronaldo

David Chesnoff, advogado especializado em direito criminal, foi contratado por Cristiano Ronaldo para o defender da recente acusação de violação em que se viu envolvido.

Chesnoff, que trata especialmente de casos de assédio, abuso sexual, violação e agressões, vai representar legalmente o português no processo em que o jogador é acusado de violação pela norte-americana Kathryn Mayorga, num caso que remonta a 2009, num hotel em Las Vegas.

Ronaldo junta-se assim a uma já longa lista de personalidades conhecidas do público que recorreram aos serviços jurídicos de Chesnoff, como os cantores Bruno Mars e Britney Spears, os atores Leonardo DiCaprio e Lindsay Lohan, os rappers Nate Dogg e Suge Knight, o mágico David Copperfield, a família de Michael Jackson, o tenista Andre Agassi, o pugilista Mike Tyson, a chefe de cozinha Martha Stewart e a empresária Paris Hilton. No rol de clientes do advogado, contam-se ainda várias estrelas do póquer profissional, como Phil Ivey, Doyle Brunson, Johnny Chan e Shawn Sheikhan. Tantas como as aparições em programas de televisão norte-americanos, onde Chesnoff foi recebido para dar pareceres jurídicos sobre processos judiciais.

Nascido em 1955, David Chesnoff graduou-se em direito criminal pelas Universidades de Suffolk, em Boston, e Alfred, em Nova Iorque. Em 1985, depois de cruzar caminhos com o atual presidente da Câmara de Las Vegas, Oscar B. Goodman, Chesnoff fundou a firma de advocacia Goodman & Chesnoff, especializada em áreas como o crime e a injúria pessoal. Em 2011, quando o parceiro de leis ingressou no mundo da política, o nome da empresa mudou para Chesnoff & Schonfeld, adaptando-se ao nome do novo sócio. A empresa, que ainda hoje é dirigida por David, está listada como uma das melhores em litígios pelo Diretório Nacional de Advogados Criminais.

Chesnoff, que foi contratado por Cristiano Ronaldo na quarta-feira, depois de os advogados da queixosa terem dado uma conferência de imprensa, não perdeu tempo a vir defender o cliente em público. Segundo a agência de notícias Associated Press (AP), o jurista desmentiu "categoricamente" todas as acusações de que Ronaldo é alvo e afirmou ainda que a polícia de Las Vegas investigou a denúncia de violação, reportada em 2009, e que, na altura, não recomendou a apresentação de queixa.

A revista alemã "Der Spiegel", que publicou, na semana passada, um trabalho de investigação que conta com o testemunho de Mayorga e documentos revelados pelo "Football Leaks", revelou que poucos meses depois do alegado episódio de violação, o português pagou mais de 300 mil euros para que a mulher não falasse do que tinha acontecido.

As autoridades de Las Vegas anunciaram, esta semana, a reabertura da investigação. A defesa apresentou à Polícia novos elementos, que foram acrescentado à queixa apresentada em 2009, e avançou com uma ação cível na justiça do Estado do Nevada com o objetivo de anular o acordo de confidencialidade que alega ter sido pressionada a assinar.