O Jogo ao Vivo

Futebol

Fernando Santos: "O Ronaldo é isto, sempre foi a sua história"

Fernando Santos: "O Ronaldo é isto, sempre foi a sua história"

O selecionador nacional reconheceu as dificuldades de Portugal frente à República da Irlanda, na qualificação para o Mundial2022, elogiando Cristiano Ronaldo por "aparecer" no momento certo para dar a vitória à equipa.

"O Ronaldo é isto, sempre foi a sua história. Os grandes jogadores são assim, mesmo quando as coisas não estão a correr tão bem como é habitual. Tive um treinador, o Jimmy Hagan, a quem um dia perguntei porque não tirava o Eusébio mesmo quando jogava mal. E ele respondeu: 'e quando eu precisar dele, onde está o Eusébio?'. Os grandes jogadores são assim, aparecem mesmo quando não estão tão bem", salientou o treinador português sobre a exibição do avançado, autor dos dois golos do triunfo.

Sobre a exibição da equipa frente aos irlandeses, Fernando Santos anotou que Portugal esteve "bem nos primeiros 15-20 minutos".

"Um penálti, uma bola no poste, a criar com circulação correta, com jogadas entre linhas, a ganhar segundas bolas com alguma facilidade. Até aos 20 minutos chutavam bola na frente, o jogo controlado. O Palhinha esteve muito bem. Depois, a partir daí, a equipa começou a não conseguir fazer isso. Tentou encontrar espaços, mas perdeu capacidade de reação à perda. O adversário começou a criar problemas, o Pepe tinha queixas, e esses pequenos pormenores influenciam o que aconteceu na primeira parte", analisou.

E Fernando Santos continuou: "A equipa a partir daí não esteve na capacidade de recuperar a bola. Tivemos muitas dificuldades e o adversário fez o golo numa bola parada, numa jogada que conhecíamos. O futebol é isso".

PUB

"Na segunda parte, tinham muita vontade de dar a volta ao jogo. Colocámos o André Silva em campo, com o Cristiano mais na esquerda e a procurar o flanco, e fomos fazendo alterações para chegar à vitória. O adversário ia contra-atacando. Com o João Moutinho e o João Mário, e o Bernardo por dentro, a equipa pressionou muito mais, instalámo-nos no meio-campo do adversário. Com o Guedes, ficámos a jogar praticamente com dois defesas. Acabámos por ser felizes, com dois grandes golos. A vitória é justa", considerou o selecionador nacional.

"No início da segunda parte, pensava que podíamos flanquear melhor, com o Raphael a entrar. Com dificuldades, lancei o Nuno Mendes. Fomos alterando até encontrar uma solução. Nestes jogos, com o jogo a ficar assim, uma das soluções é ter a segunda bola e encostar o adversário. Apareceram cinco ou seis oportunidades, não foram só os golos. Os jogadores estão de parabéns, deram tudo para alcançar a vitória, que é justíssima", completou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG