Liga dos Campeões

Fez-se história no Dragão e só faltou mesmo o KO

Fez-se história no Dragão e só faltou mesmo o KO

Primeira vitória de sempre do F. C. Porto sobre a Juve dá vantagem mínima para a 2.ª mão. Golo dos italianos perto do fim impediu noite perfeita na Invicta.

Um jogo de muita personalidade do F. C. Porto valeu-lhe um triunfo inédito sobre a Juventus, que manteve vivo o sonho dos dragões no grande palco europeu. E por incrível que possa parecer, o resultado não foi de todo o que podia ter sido. Não é que o golo dos italianos, a oito minutos dos 90, tenha caído propriamente do céu, mas depois de Marega ter assinado o 2-0, logo a abrir a segunda parte, os portistas estiveram perto de chegar a um terceiro tento que deixaria a eliminatória muito bem encaminhada. Não o conseguiram e agora está tudo em aberto para a segunda mão, em Turim, daqui a três semanas.

Sérgio Conceição montou a estratégia certa para abordar o embate com os campeões italianos e os primeiros instantes provaram que pressionar alto valia a pena. Num início de sonho para os dragões, Taremi aproveitou um erro incrível de Bentancur e desfez o nulo logo ao segundo minuto, lançando as bases para o jogo que o F. C. Porto queria. A Juventus teve mais bola, mas a lentidão de processos que já lhe se tem visto na liga italiana e a boa prestação defensiva dos portistas, sem erros comprometedores, mantiveram a baliza de Marchesín longe de sobressaltos até ao intervalo. Pelo meio, um disparate do guarda-redes Szczesny deixou Sérgio Oliveira com caminho livre para o 2-0, mas a noite não estava para proezas do médio, como se veria mais à frente.

A segunda parte começou como a primeira, com novo golo portista, numa boa combinação entre Manafá e Marega, muito eficazes a aproveitar espaços nada habituais na defesa "bianconera". A Juve tremeu com um resultado que já seria complicado de reverter e não é um exagero dizer que esteve perto do KO. Aos 52m, Sérgio Oliveira teve tudo para fazer o terceiro, depois de uma brilhante arrancada individual, mas o remate não saiu com a direção desejada.

A entrada de Morata para o ataque ajudou a Juventus a mudar. Cristiano Ronaldo deixou de estar tão sozinho e o perigo rondou a área azul e branca, embora nunca de forma avassaladora, e o 2-1 acabou por surgir, na única vez em que os defesas deixaram fugir os adversários. Chiesa foi implacável.

PUB

POSITIVO

Pepe comandou as tropas portistas com uma exibição segura. Uribe e Sérgio Oliveira impuseram-se a meio-campo. Morata entrou bem.

NEGATIVO

Cristiano Ronaldo esteve apagado, mas a bola raramente lhe chegou em condições. Bentancur cometeu um erro de principiante.

ÁRBITRO

Dúvidas num lance entre Zaidu e Ronaldo nos descontos. Árbitro e VAR não consideram suficiente o contacto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG