Real Madrid

Florentino gravado a falar sobre Casillas: "É como um cãozinho de colo"

Florentino gravado a falar sobre Casillas: "É como um cãozinho de colo"

O presidente do Real Madrid volta, esta terça-feira, a estar no centro de uma polémica, com a divulgação de conversas de Florentino Pérez em que tece duras críticas a Iker Casillas e a Raúl González.

Madrid está em alvoroço e tudo por culpa de Florentino Pérez. O jornal espanhol "El Confidencial" divulgou áudios do presidente do Real Madrid e nos quais não faltam críticas a Iker Casillas, ex-guarda-redes do F.C. Porto e que atualmente trabalha no clube merengue, e Raúl González. Os áudios, datados de 2006 e 2008, têm como principal alvo Casillas, que Pérez considera "um fantoche".

"É como uma criança pequena, é como um cãozinho de colo, um fantoche, uma coisa infantil. Eu tenho, as pessoas não sabem, uma relação muito boa com ele. As pessoas pensam que eu gosto muito dele. A questão é que penso que ele é um tipo que se tivesse dado mais de si seria certamente o número um, porque tem condições espetaculares, mesmo que lhe faltem alguns centímetros. Mas vá lá, vou falar-vos do jogo em que jogámos na Liga contra o Barcelona, lembram-se, aquele em que ganhámos por 4-2, certo? Bem, na sexta-feira chegou atrasado para ao treino. Teve azar, que eu estava ali", pode ouvir-se, com o líder merengue a considerar mesmo que o espanhol "não é guarda-redes para os merengues.

"Casillas não é guarda-redes para o Real Madrid, que queres que te diga? Nunca o foi. Foi uma das nossas grandes falhas. O que se passa é que o adoram, querem falar com ele. Não sei... Defendem-no tanto. Mas pronto, é uma das grandes fraudes do clube. A outra é Raúl. São as duas grandes fraudes do Real, primeiro Raúl e depois Casillas", concluiu.

Florentino Pérez associa áudios sobre Casillas e Raúl à criação da Superliga

O presidente do Real Madrid já reagiu à polémica e, em comunicado, o líder do clube madrileno não nega a autoria das palavras e aponta o dedo ao jornalista espanhol José Antonio Abellán, que acusa de gravar "clandestinamente" a conversa.

PUB

"As frases reproduzidas foram referidas em conversas clandestinamente gravadas pelo senhor José Antonio Abellán [jornalista], que há vários anos as tenta vender, mas sem sucesso. É surpreendente que, passados tantos anos, o jornal "El Confidencial" as tenha divulgado hoje. São frases únicas de conversas tiradas do amplo contexto em que ocorrem e que são reproduzidas agora, depois de tantos anos desde que essas conversas tiveram lugar. Compreendo que isso se deve à minha participação como um dos promotores da Superliga. Pus o assunto nas mãos dos meus advogados que estão a estudar as possíveis ações a serem tomadas", pode ler-se.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG