Braga - Benfica

Guerreiros encantados não deixam matar a fome

Guerreiros encantados não deixam matar a fome

Arsenalistas tiram partido de expulsão polémica, dominam o jogo e erguem a terceira Taça de Portugal.

Apesar da expulsão polémica de Helton Leite ter constituído duro revés nas aspirações do Benfica, o triunfo do Sporting de Braga foi completamente merecido, após ter dominado o jogo, sobretudo depois do vermelho exibido ao guarda-redes das águias.

Sob o comando de Carlos Carvalhal, um homem de Braga e sócio do clube, o emblema minhoto ergueu a terceira Taça de Portugal, a segunda em cinco anos, confirmando o crescimento que, em ano de primeiro centenário, juntou mais um troféu ao palmarés, enquanto simultaneamente o Benfica voltava a viver traumas recentes, acabando completamente em branco, após uma época de grandes investimentos e reflexos nulos.

Ao contrário do que sucedera na recente receção ao Sporting, num jogo que foi determinante para as contas do título, o Braga soube aproveitar uma expulsão após o primeiro quarto de hora e jogar como mais gosta, tirando partido das transições e vencendo de forma merecida.

Helton Leite foi expulso após uma falta duvidosa fora da área, sobre Abel Ruiz. O árbitro expulsou o guarda-redes brasileiro e o Benfica nunca mais foi a tempo de inverter a supremacia do opositor.

Jesus sacrificou Pizzi, mas o Braga tomou conta do jogo e, mesmo quando o Benfica, perto do intervalo, ameaçou por duas vezes a baliza de Matheus, acabou por aproveitar um erro de Vlachodimos para, à beira do descanso, num belo chapéu de Lucas Piazon, desfazer o nulo. Duas más saídas dos guarda-redes das águias resultaram em situações determinantes nesta final.

O Braga, que não contou com o capitão Fransérgio devido a lesão muscular, controlou o meio-campo e entrou na segunda parte a explorar os espaços que a defesa dos encarnados foi concedendo.

PUB

Se as opções de Jesus não resultavam, o Braga apenas foi adiando a confirmação do triunfo, o que surgiria apenas a cinco minutos do fim, quando havia muito tempo que se anunciava. Abel Ruiz lançou Ricardo Horta e o melhor marcador da equipa minhota bateu Vlachodimos.

Os últimos minutos apenas mostraram o desespero evidente do Benfica, com o Braga a esperar pelo apito final, para entrar nos merecidos festejos.

Positivo

Golaço de Piazon. Grande jogo de Al Musrati (até sair por lesão) e Galeno. Abel Ruiz "expulsou" Helton e serviu Ricardo Horta para o 2-0.

Negativo

Erro de Vlachodimos no golo, voltando a falhar na final da Taça, como na época passada. A enorme confusão, já nos descontos. Lamentável!

Árbitro

Helton Leite mal expulso: a falta não é clara e, a existir, devia dar só amarelo. Nos restantes vermelhos cumpriu a lei.

Veja o resumo do jogo:

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG