Desporto

Estoril-Praia e Académica empatam 1-1 em jogo fraco

Estoril-Praia e Académica empatam 1-1 em jogo fraco

O Estoril-Praia e a Académica empataram, esta sexta-feira, 1-1, no jogo de abertura da décima jornada da I Liga portuguesa de futebol, que ficou marcado pela falta de ideias e escassez de oportunidades de ambas as formações.

Depois de 35 minutos sem ocasiões em que os guarda-redes foram meros espetadores, o Estoril-Praia adiantou-se no marcador aos 34 minutos, por intermédio de Léo Bonatini, mas já na segunda parte Rabiola empatou o encontro, aos 71.

Com este empate o Estoril-Praia soma o quarto jogo sem conseguir vencer, permanecendo no oitavo lugar, com 14 pontos, enquanto a Académica consegue, ainda que provisoriamente, sair da zona de despromoção ao somar o sexto ponto, empurrando o Tondela para o 17.º lugar.

A jogar em casa o Estoril-Praia tentou desde cedo assumir o encontro mas encontrou pela frente uma Académica bem organizada que raramente permitiu aos 'canarinhos' causar perigo na primeira parte.

Depois de uma meia hora sofrida com duas equipas sem ideias, em que apenas Bruno César tentou chegar ao golo numa jogada individual, mas viu o seu remate sair ao lado (21), o encontro só animou nos últimos dez minutos do primeiro tempo, momento em que o Estoril-Praia inaugurou o marcador.

Numa grande jogada individual, Gerso passou por dois adversários dentro da área e serviu o goleador Léo Bonatini, que encostou para o 1-0 e se consolidou como o melhor marcador do Estoril-Praia, chegando ao quinto golo da temporada.

A 'briosa' acordou e respondeu no minuto seguinte mas o guarda-redes Kieszek brilhou ao defender os remates de Fernando Alexandre, de meia distância, e de Hugo Seco, que já dentro da área não conseguiu bater o polaco.

No início do segundo tempo, o técnico Filipe Gouveia lançou os avançados Gonçalo Paciência e Rabiola, mas a equipa de Coimbra, embora mais interventiva, não conseguiu criar ocasiões de perigo perante um Estoril-Praia a jogar de forma lenta e sem conseguir chegar ao último terço do terreno.

Aos 70 minutos, Bruno Cesar deu um 'pontapé na monotonia' e num grande remate esteve perto de ampliar a vantagem do Estoril, mas a bola passou a centímetros da trave da baliza de Pedro Trigueira.

Fazendo jus ao velho ditado de 'quem não marca sofre', a Académica respondeu e chegou à igualdade no minuto seguinte numa jogada totalmente desenhada por futebolistas que saíram do banco de suplentes.

O recém-entrado Marinho serviu Gonçalo Paciência, o jovem internacional português com uma excelente finta tirou um adversário do caminho e serviu Rabiola, que perto da linha de baliza só teve de encostar, fixando o resultado final em 1-1.

ver mais vídeos