Futebol

Luís Filipe Vieira: "Quando sair do Benfica de certeza que vou mais pobre"

Luís Filipe Vieira: "Quando sair do Benfica de certeza que vou mais pobre"

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, disse esta sexta-feira acreditar na conquista do pentacampeonato e revelou que o clube vai abater em breve 100 milhões de euros ao seu passivo.

Na cerimónia de inauguração oficial das novas instalações da Casa do Benfica em Braga, o líder encarnado adiantou que, do contrato de 400 milhões com a NOS, "100 milhões de euros vão ser pagos ao sistema financeiro português para abater parte da dívida do Benfica".

A cinco pontos do líder F. C. Porto, o Benfica é segundo classificado (em igualdade pontual com o Sporting), mas o presidente benfiquista crê na conquista daquele que seria o primeiro penta das águias.

"Já disseram que não íamos lá, mas vamos ter a mesma pedalada até ao final do campeonato, e precisamos dos adeptos para apoiar a equipa porque os jogadores estão preparados não para 90, mas para 180 minutos, o treinador está atento e em sintonia connosco, queremos o penta, doa a quem doer", disse.

Vieira garantiu ainda a continuidade da aposta na formação.

"É para manter, não altero um milímetro o meu pensamento e não será um mau resultado que vai mudar alguma coisa. Na próxima época, mais quatro jogadores da formação estarão no plantel do Benfica", disse.

Luís Filipe Vieira elogiou depois a sentença do Tribunal de Relação do Porto, que deu razão ao Benfica na providência cautelar interposta pelo clube da Luz para impedir o F. C. Porto de publicitar os emails encarnados, e reforçou que o Benfica "não cometeu nenhuma ilegalidade".

"Todas as nossas vitórias foram obtidas de forma limpa. O único crime que está provado é o roubo de mais de uma década de correspondência interna e de âmbito totalmente privado. Vamos desmontar nos lugares próprios, nos tribunais, cada uma das suspeitas que nos fazem, e iremos responsabilizar quem intencionalmente mente de forma criminosa", disse.

O dirigente deixou também acusações implícitas aos seus rivais de agirem de forma concertada para denegrir o Benfica.

"Enredados numa crise financeira e desportiva sem precedentes, sem novos projetos e rumo, resolveram apostar numa estratégia concertada de querer manchar o nosso trabalho e a reputação da nossa marca, mas os benfiquistas podem andar de cabeça bem levantada", assegurou.

Luís Filipe Vieira garantiu ainda nunca ter oferecido qualquer cargo no clube a troco de alguma coisa na sua vida pessoal ou profissional: "sou uma pessoa de bem, quando sair do Benfica de certeza que vou mais pobre, não vou mais rico".

O dirigente anunciou mais seis campos relvados e um polo hoteleiro no Seixal, assim como a entrega no Ministério da Educação, no dia 28 de fevereiro, de uma proposta para o Colégio Benfica Internacional, que quer ver a funcionar no ano letivo 2019/20.

Prometeu ainda que a Casa do Jogador "vai ser concluída neste mandato", que é para "concretizar o centro de alto rendimento [em Oeiras]", que o primeiro hotel do Benfica, na rua Jardim do Regedor, foi adjudicado à Visabeira e que a Rádio Benfica "em maio, junho estará no ar".

Vieira Deixou ainda um recado à câmara municipal de Braga, que terá recusado receber o Benfica nos Paços do Concelho.

"Nas centenas de inaugurações e ampliações de casas do Benfica pelo país, as mais diversas e representativas entidades locais têm feito questão de estar presentes e associar-se a esse momento, independentemente das suas questões clubísticas", disse.

Para Vieira, "o contrário é que se torna incompreensível e é uma cedência à cultura do fanatismo que leva ao triste exemplo desta casa, no último ano, ter sido seis vezes vandalizada.

"Esta cultura de ódio e guerra tem que acabar porque o Benfica é a maior instituição desportiva do país", disse.

ver mais vídeos