Inglaterra

João Cancelo "salva" adepto com autismo após invasão de campo

João Cancelo "salva" adepto com autismo após invasão de campo

Depois do apito final do jogo entre o Aston Villa e o Manchester City, que sagrou a equipa de Pep Guardiola campeã inglesa, João Cancelo ajudou um menino autista que sofre de dispraxia e que se perdeu do pai.

Há muito que o desporto traz histórias bonitas que ultrapassam tanto os relvados como os pavilhões e, desta vez, é João Cancelo a assumir o papel de protagonista, depois de um gesto que uma família tão cedo não vai esquecer. Na última jornada da Liga inglesa, o Manchester City conseguiu uma reviravolta épica diante do Aston Villa e conquistar o título inglês e, depois do apito final, esperava-se uma festa em grande. Os adeptos acabaram por invadir o relvado para fazer a festa com os jogadores - até houve episódios infelizes, como a agressão ao guarda-redes do Villa - e, mesmo no meio da confusão e euforia, João Cancelo ajudou um menino de 10 anos, adepto dos "citizens" com autismo e que sofre de dispraxia, que se perdeu do pai. Agora, chegou o agradecimento da família.

"O Ollie desatou a correr mal o jogo acabou. Ele tem autismo e não estava ciente dos perigos, mas sim entusiasmado e começou a correr. Ultimamente ele vai com o pai ao estádio. Eu estava a acompanhar o jogo pela televisão e vi o Lee, meu marido, a correr pelo relvado, mas não vi o meu filho. Fiquei em pânico. O meu filho estava junto ao guarda-redes do Villa quando este foi agredido, é possível ver nos vídeos. Isso assustou-o, mas depois viu o Cancelo e foi ter com ele", começou por contar a mãe, Lauren, citada pelo "Manchester Evening News", destacando a ajuda do internacional português, que conseguiu acalmar o jovem adepto.

"O Cancelo puxou-o, envolveu-o com os braços, deu-lhe um beijo na testa e afastou as pessoas. As pessoas continuaram a empurrar-se e o meu filho estava apavorado. O Cancelo não só abraçou o Ollie como manteve os braços à volta, o que deu tempo ao meu marido para chegar à beira dele. Ele manteve-se com a cara encostada ao peito do Cancelo com todas aquelas pessoas a empurrarem-se. A história poderia ter sido completamente diferente. Aquele homem deveria estar a correr e a celebrar a vitória mas, ao invés, tirou tempo para cuidar de um pequeno rapaz", acrescentou Lauren.

Agora, não há dúvidas: João Cancelo passou a ser o jogador preferido do menino, que fez questão de pedir à mãe ajuda para escrever uma carta ao atleta. "Antes o Cancelo era o seu segundo jogador favorito, agora é definitivamente o número um. Acho que não há palavras para agradecer ao Cancelo. Provavelmente ele nem sabe o quão importante foi. O Ollie diz que poderia ter morrido naquele dia. É verdade pelo tamanho das pessoas à sua volta, não teria hipótese. Do fundo dos nossos corações, não há palavras para agradecer ao Cancelo pelo que fez", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG