Indonésia

Mais de 170 mortos em confrontos após jogo com portugueses

Mais de 170 mortos em confrontos após jogo com portugueses

O futebol indonésio ficou, este sábado, marcado por uma tragédia. Depois do jogo entre o Arema, dos portugueses Abel Camará e Sérgio Silva, e o Persebaya, que terminou com uma derrota da equipa da casa por 2-3, centenas de adeptos entraram em confrontos e 174 pessoas, entre elas dois polícias, morreram. Há ainda 180 feridos.

De acordo com a imprensa local, a confusão começou depois do apito final. Insatisfeitos com a derrota por 2-3, os adeptos do Arema, equipa da casa na qual jogam os portugueses Abel Camará - que marcou os dois golos - e Sérgio Silva, invadiram o relvado para tirar satisfações com o plantel. A polícia começou a disparar gás lacrimogéneo, proibido pela FIFA, e o pânico dos adeptos, bem como a desorientação, fez com que muitos caíssem e acabassem pisados pela multidão que tentava sair do relvado do Kanjuruhan Stadium, em Malang.

Foram registados 174 mortos e os distúrbios alastraram-se às imediações do estádio, onde houve confrontos entre adeptos e polícias. Há ainda o registo de 180 feridos.

PUB

"Às 09.30 [hora local, 03.30 em Lisboa] o número de mortos aumentou para 158, e às 10.30 para 174. Estes são os dados recolhidos pela East Java Disaster Management Agency", disse o vice-governador da província, Emil Dardak, na Kompas TV, segundo a agência francesa AFP.

Ambos os clubes já se pronunciaram e lamentaram os confrontos. O campeonato foi suspenso pelo menos uma semana.

Trata-se de uma das piores tragédias de sempre num estádio de futebol, depois dos 318 mortos em confrontos entre adeptos do Peru e da Argentina no Estádio Nacional de Lima, em 1964.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG