Futebol

Messi marca e ultrapassa Pelé

Messi marca e ultrapassa Pelé

O argentino Lionel Messi passou a ser, esta terça-feira, o jogador da história do futebol com mais golos oficiais pelo mesmo clube, ao marcar o 644.º no triunfo do Barcelona, por 3-0, sobre o Valladolid, ultrapassando o registo do "rei" Pelé no Santos.

Com um tento em Valladolid, aos 65 minutos, em embate da ronda 15 da Liga espanhola, no 749.º jogo pelos catalães, o jogador de 33 anos deixou para trás o tricampeão mundial brasileiro, que marcou 643 tentos em 659 jogos pelo 'peixe', entre 1957 e 1974.

Messi, que se estreou oficialmente pela principal equipa 'culé' em 16 de outubro de 2004, conseguiu este feito na competição favorita, a Liga espanhola, na qual conta 451 golos, em 499 jogos, sendo, destacado, o melhor marcador da história.

Pelo FC Barcelona, o argentino marcou ainda 118 golos na Liga dos Campeões (147 jogos), 53 na Taça do Rei de Espanha (75), 14 na Supertaça espanhola (19), cinco no Mundial de clubes (cinco) e três na Supertaça Europeia (quatro).

O 10 dos catalães teve a época mais produtiva em 2011/12, com 73 golos, e a melhor colheita anual em 2012, com 79 - contando com os 12 pela Argentina, chegou aos 91.

No total da carreira, contando todos os golos oficiais no escalão sénior, Messi soma agora 742 golos, em 946 jogos, sendo que, contando apenas as equipas principais do FC Barcelona e da Argentina, o total é de 715 tentos, em 891 embates.

Quanto a Pelé, que completou 80 anos no passado dia 23 de outubro, marcou a maioria dos golos pelo Santos no campeonato paulista, num total de 467 tentos, em apenas 410 encontros.

PUB

Nas competições internas, o jogador canarinho apontou ainda 49 golos na Taça Rio/São Paulo (53 jogos), 37 na Taça de Prata/Roberto Gomes Pedrosa (57), 34 no campeonato brasileiro (83) e 30 na Taça do Brasil (30).

Pelé contabiliza ainda 26 tentos em provas internacionais, 16 na Taça dos Libertadores (15 jogos), sete na Taça Intercontinental (três), cinco dos quais nos dois jogos com o Benfica de 1962/63, e três na Supertaça sul-americana. Não marcou na Supertaça Intercontinental.

Estes números do "rei", do único tricampeão mundial da história do futebol (1958, 1962 e 1970), não incluem jogos particulares, sendo que, nessas contas e, de acordo com o Arquivo Histórico do Santos, o número sobe para 1091 golos, em 1116 jogos.

Na lista de melhores marcadores por um clube em jogos oficiais, completa o pódio o ponta de lança internacional alemão Gerd Muller, 'Bola de Ouro em 1970 e "Bota de Ouro" em 1970 e 1972, que apontou um total de 573 golos pelo Bayern Munique.

Em posição cimeira na tabela de maior número de golos pelo mesmo clube, estão três portugueses, um deles em atividade: Cristino Ronaldo marcou 451 golos, em apenas 438 jogos pelo Real Madrid, que representou durante nove épocas, de 2009/10 a 2017/18.

Ainda assim, Ronaldo não é o melhor futebolista luso, mas apenas o terceiro, atrás de Fernando Peyroteo, que marcou 543 golos pelo Sporting, em apenas 334 jogos, e de Eusébio da Silva Ferreira, autor de 473 pelo Benfica, em 440 encontros.

Recital argentino em Valladolid

Quanto ao encontro, o astro argentino esteve em destaque no triunfo do Barcelona, que ascendeu ao quinto lugar da Liga espanhola. Depois de estar nos dois primeiros golos catalães, e de, aos 90+2, ter acertado no poste, o argentino fez, com classe, o 3-0.

O central francês Clement Lenglet, aos 21 minutos, e o avançado dinamarquês Martin Braithwaite, aos 35, construíram o justo triunfo que coloca os catalães com 24 pontos, a oito do líder Atlético de Madrid, que, ainda por cima, tem um jogo a menos do que a equipa de Ronald Koeman.

Com Trincão sem sair do banco blaugrana, o que aconteceu pela primeira vez neste campeonato, e Jota titular nos anfitriões, Messi abriu o jogo com o cruzamento perfeito para a cabeça de Lenglet, que acabou com a resistência do Valladolid.

O argentino também descobriu o norte-americano Sergino Dest, que cruzou na direita para a emenda, na pequena área, de Braithwaite, numa primeira parte de domínio total.

O Valladolid subiu de rendimento na etapa complementar, porém, o golo de Messi, após calcanhar do jovem Pedri, sentenciou a partida.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG