O Jogo ao Vivo

Futebol

O apagão de Messi em Paris e a luz de Ronaldo em Manchester

O apagão de Messi em Paris e a luz de Ronaldo em Manchester

Os dois astros do futebol mudaram de clube esta temporada e com cada desafio surgem novas expectativas. No entanto, Cristiano está a ter um rendimento imediato ao contrário de Messi que ainda não conseguiu arrancar como seria esperado.

A janela de transferências do verão de 2021 viu Lionel Messi e Cristiano Ronaldo a mudarem de clube e a abraçarem novos desafios. As expectativas para os dois eram altas, mas diferentes. Messi juntou-se a uma "super equipa", que já tinha contratado Donnarumma, Hakimi, Sérgio Ramos e Wijnaldum. A frente de ataque assustava os adversários, sendo composta pelo argentino, Mbappé, Neymar e Di Maria.

O grande desafio de Messi no PSG é guiar a equipa à conquista da Champions, tendo em conta que as competições internas têm sido dominadas pela equipa de Paris. No caso de Ronaldo, a Liga inglesa é uma tarefa mais difícil, com Chelsea, Manchester City e Liverpool a serem candidatos muito fortes numa liga mais equilibrada do que a francesa.

Apesar da diferença nas expectativas, o rendimento dos dois craques está a ser bem diferente, até ao momento. Messi treinou pela primeira vez no PSG a 12 de agosto, tendo parado a meio para representar a Argentina e falhado o encontro contra o Clermont devido às regras contra a pandemia. Estreou-se a 29 de agosto, tendo 17 dias entre chegar, treinar e jogar.

Até ao momento, Messi competiu em três jogos pelos "les parisiens" realizando 190 minutos. O argentino ainda não marcou nem fez qualquer assistência, e os franceses desiludiram na Liga dos Campeões ao empatar a uma bola contra o Brugge. Na partida deste domingo, foi substituído aos 76 minutos e as reações à saída foram de desagrado e surpresa.

Cristiano Ronaldo treinou pela primeira vez com a equipa do Manchester United a 7 de setembro, tendo-se estreado frente ao Newcastle quatro dias depois. O português já tinha realizado pré-época e jogado pela Juventus, ou seja, estaria numa forma física diferente daquela que Messi terá apresentado (que esteve de férias e passou pelo impasse com o Barcelona), devido ao ritmo de jogo.

PUB

Ronaldo até agora jogou três encontros pelo United, realizando 252 minutos. Na estreia, marcou logo dois golos na vitória por 4-2 contra o Newcastle. Na Liga dos Campeões, frente ao Young Boys, marcou novamente, mas não impediu a derrota e foi substituído aos 72 minutos. Este domingo, marcou pela quarta vez no triunfo por 2-1 contra o West Ham.

Os contextos dos dois clubes poderão ajudar a explicar o rendimento imediato de um e de outro. Esta é a segunda passagem de Cristiano por Manchester, o português já "conhece os cantos à casa", sabendo o que esperar da cultura britânica, dos adeptos e até do treinador Solskjaer, ex-colega de equipa de CR7. No caso de Messi, é a primeira vez que sai do Barcelona e conhece uma cultura e idioma diferente, fatores que até a um jogador do calibre do argentino podem afetar.

A venda de camisolas é sempre um dado que os clubes têm em conta, sobretudo em contratações de jogadores de alto nível. Segundo o site "lovethesales", a camisa de Ronaldo já vendeu mais que a de Messi, mesmo com o português a ter sido oficializado três semanas depois.

"Ronaldo 7" rendeu 220 milhões de euros em vendas, enquanto "Messi 30" gerou cerca de 123 milhões. Um dos aspetos que pode contribuir para esta disparidade, é a popularidade do Manchester United em relação ao PSG.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG