Benfica

Relvado híbrido no estádio da Luz pronto a estrear

Relvado híbrido no estádio da Luz pronto a estrear

O Benfica aproveitou a paragem nas provas nacionais para colocar um novo relvado, híbrido, no estádio da Luz, que está pronto a ser utilizado, aguardando apenas a aprovação da Liga. Bruno Lage vê assim cumprido o pedido feito a Luís Filipe Vieira.

Por diversas vezes o treinador das águias se queixou do estado do relvado - Chiquinho e Rafa lesionaram-se com gravidade na Luz -, pese ter sido colocado um novo piso no início da época. Os alertas de Bruno Laje foram, finalmente, ouvidos por Luís Filipe Vieira e a SAD decidiu investir cerca de 300 mil euros num tapete de melhor qualidade.

A utilização do material híbrido foi ideia de Lage, pois em Inglaterra (onde trabalhou como ajunto de Carlos Carvalhal), bem como noutros países com invernos rigorosos, já é habitual os clubes optarem por este tipo de relvado.

E bastaram apenas quatro dias para ser colocado um novo tapete verde na casa das águias. O piso tem uma tecnologia híbrida que passa pela instalação de uma película sintética na camada inferior à relva natural. Este material permite ajudar a segurar o piso, tornando-o muito mais estável, bem como aumentar a velocidade do jogo. O sistema, denominado como "Mixto", é já utilizado pelo Real Madrid, AC Milan/Inter, PSG, Manchester City, Manchester United, Chelsea, Arsenal e Zenit. E até a final da Liga dos Campeões de 2019/20, no Estádio Ataturk, em Istambul, será disputada num piso híbrido.

Em declarações ao jornal "O Jogo", Luís Botas, da empresa "Eng Global" e especialista em relvados, anotou que esta tecnologia potencia a "resistência e durabilidade". "O relvado natural acaba por segurar toda o sistema radicular na estrutura artificial que lhe vai dar suporte, e todas as raízes desenvolvem na parte inicial e agarradas. Quando há um carrinho, a tendência para se libertar o relvado é menor, porque está agarrado à matriz de relva sintética", explicou o especialista, salientando que "o híbrido irá ajudar muito". "Com uma boa manutenção deverá ter um prazo de utilização de três a quatro anos", acrescentou.

Na Luz, o novo piso está pronto a ser utilizado é só necessita da aprovação da Liga para receber o Benfica-Marítimo, no próximo dia 30, uma vez que os regulamentos só prevêem o uso de relvados naturais. A vistoria da Comissão Técnica ainda não foi agendada, mas a avaliação pode ser feita em 24 horas. Esta terça-feira, a equipa comandada por Bruno Lage já fez um treino de adaptação ao relvado.

Piso do Municipal de Braga tem a melhor avaliação em Portugal

Em Portugal, os relvados dos 18 clubes da Liga são vistoriados constantemente, sendo que o do Braga é o que tem tido a melhor média nas aferições referentes a esta temporada. Os minhotos têm uma média de 4,62 pontos em cinco jogos, tendo-lhe sido atribuída a nota máxima (5) na receção ao Moreirense, na primeira jornada.

Até ver, por mais quatro vezes os relvados levaram nota máxima, casos dos tapetes do Portimonense, nos jogos com o Sporting e o Santa Clara, e do Benfica, que mereceu duplo cinco frente a F. C. Porto e Gil Vicente, o segundo e terceiro desafios disputados na Luz, antes da relva entrar em declínio de qualidade, ao ponto de no último jogo (Rio Ave) não ter ido além de 3,25 pontos.

A seguir ao primeiro lugar ocupado pelo Braga, estão os relvados do Estádio Cidade de Barcelos, em época de regresso do Gil Vicente à Liga (4,5), e o do Municipal de Portimão (4,4), sendo que o clube algarvio já mereceu o primeiro lugar do ranking nas duas últimas épocas e foi premiado.

Apesar dos problemas no relvado, o Benfica é o melhor dos grandes (4,28), ligeiramente à frente do F. C. Porto (4,16), enquanto Sporting é apenas o 12.º, com 3,84 pontos de média. No fundo da tabela estão as equipas das ilhas, casos de Marítimo (2,96) e Santa Clara (2,58). Já o Estádio Nacional, onde joga o Belenenses SAD, é o menos pontuado do continente (2,98).