Pequim2022

Tenista chinesa Peng Shuai garante nunca ter desaparecido

Tenista chinesa Peng Shuai garante nunca ter desaparecido

A tenista chinesa Peng Shuai garantiu que "nunca desapareceu", depois de acusar o ex-vice-primeiro-ministro chinês Zhang Gaoli de abusos sexuais, numa entrevista publicada pelo jornal desportivo francês "L'Equipe" no domingo à noite.

"Muita gente, tais como os meus amigos, incluindo do COI [Comité Olímpico Internacional] mandaram-me mensagens, e era quase impossível responder a tantas mensagens", disse Peng Shuai.

"Mas sempre mantive um contacto próximo com os meus amigos mais chegados, falei com eles, respondi aos seus e-mails e também falei com a WTA", o circuito feminino de ténis mundial, acrescentou a tenista, de 36 anos.

PUB

Peng Shuai confirmou ainda ter-se encontrado com o presidente do COI, Thomas Bach, no decorrer dos Jogos Olímpicos de Inverno Pequim2022.

No "sábado, pudemos conversar muito e trocar opiniões agradavelmente", disse a tenista, que também anunciou o fim da carreira como profissional.

"Perguntou-me [Thomas Bach] se eu estava a pensar em voltar à competição, quais eram os meus planos, o que eu estava a ponderar", afirmou Peng Shuai, recebida por dois jornalistas do "L'Equipe", num hotel localizado na bolha olímpica.

No início de novembro, a antiga campeã de pares em Roland Garros acusou Zhang Gaoli de a ter forçado a ter relações sexuais, durante um relacionamento que durou vários anos.

As acusações de Peng Shuai, feitas numa publicação na rede social chinesa Weibo, foram rapidamente apagadas.

A ex-número 1 do mundo em duplas esteve depois desaparecida, o que motivou grande preocupação a nível internacional, até que o presidente do COI conseguiu falar com Peng Shuai por videoconferência, em 21 de novembro.

Nessa mesma conversa, a tenista disse estar segura e bem de saúde, mas que pretendia manter, naquele momento, alguma privacidade, ficando desde logo marcado um encontro entre ambos durante os Jogos Olímpicos de Inverno.

Peng Shuai veio mais tarde, em dezembro, negar os abusos sexuais, dizendo que se tratou de um mal-entendido, já depois da WTA decidir suspender os torneios na China.

Desde então, a jogadora apareceu em vídeos, publicados pela imprensa estatal chinesa, que a mostravam a participar em eventos desportivos.

Em 03 de fevereiro, Thomas Bach garantiu que o COI iria apoiar Peng Shuai se a tenista chinesa pedisse a abertura de uma investigação às acusações de abusos sexuais contra Zhang Gaoli.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG