Sporting - B. Dortmund

Um Pote de ouro num leão mortífero e com veia histórica

Um Pote de ouro num leão mortífero e com veia histórica

Pedro Gonçalves, por duas vezes, e Pedro Porro marcam os tentos do terceiro triunfo. Um Sporting letal e sagaz vulgarizou o Dortmund e selou passagem aos oitavos.

Treze anos depois, e pela segunda vez na sua história, o Sporting garantiu o apuramento para os oitavos de final da Liga dos Campeões - desde que passou a existir a fase de grupos. Um leão letal, guerreiro, cheio de alma e solidário, num reino de Alvalade vibrante e em clima de festa - mais de 40 mil adeptos nas bancadas - cumpriu o objetivo de vencer o Dortmund pela diferença de dois golos (3-1) e carimbar, desde já, o passaporte para a próxima fase. Os três pontos permitem ainda à SAD encaixar mais 12, 4 milhões de euros.

No campo, o campeão nacional foi eficaz, terrivelmente mortífero, especialmente na primeira parte, e sentiu-se sempre confortável no papel de contra-atacar. O Dortmund dominador não foi, contudo, suficientemente perigoso, nem eficaz para fugir ao destino da Liga Europa.

Num estádio com uma atmosfera vibrante, o leão surgiu contagiado pela onda de entusiasmo que se vivia nas bancadas e criou alguma instabilidade no adversário, essencialmente na sequência de lances de bola parada.

No entanto, esse balão de euforia foi perdendo ímpeto pela reação germânica, que privilegiou a mobilidade do quarteto ofensivo liderado por Malen. A correria inicial deu lugar a uma luta ponderada e com o Dortmund a intensificar o controlo territorial e o leão na expectativa. Um recuo forçado, mas também estratégico, a assentar que nem uma luva à equipa de Ruben Amorim, que se tornou mortífera no contra-ataque.

Pote desata o nó

PUB

Pedro Gonçalves aproveitou primeiro um erro de Schulz para incendiar Alvalade e criou depois um momento mágico - remate à entrada da área -, que garantia um passaporte ainda condicional para os oitavos.

Os alemães assistiam algo petrificados à letalidade do adversário e tentavam reagir. Marlen podia ter reduzido antes do intervalo, mas Gonçalo Inácio quis que a equipa continuasse no caminho da história. No reatamento, o Dortmund intensificou a ação atacante, mas também arriscava na zona defensiva e renovava a esperança de novas fugas vitoriosas do leão.

Sarabia ameaçou logo na fase inicial e, na luta estratégica, deu sempre a sensação de que os sportinguistas estavam mais perto de ampliar a vantagem do que a ver reduzida.

A expulsão de Emre Can e a penalidade de Zagadou, em que Porro marcou na recarga, deram a estocada final num Dortmund perdido pela dureza e crueldade atacante dos leões. Uma equipa ainda jovem, mas bem ciente dos momentos para agredir o adversário. Os alemães ainda reduziram, mas o destino estava traçado.

Mais: O suspeito do costume. Pedro Gonçalves bisou e ainda perdeu um penálti. Gonçalo Inácio, providencial, manteve a equipa na rota do triunfo, selado por Porro.

Menos: Schulz substituiu Guerreiro à última hora, mas pareceu perdido e quase assistiu Pedro Gonçalves no primeiro tento. Emre Can pontapeou Porro e foi expulso.

Árbitro: Bem ao não assinalar falta na queda na área de Matheus Nunes e ao recorrer às imagens para marcar o penálti.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG