Energia

Apoio de 2 milhões no gás pode chegar a 50 empresas

Apoio de 2 milhões no gás pode chegar a 50 empresas

Vidro, cerâmica, siderurgia, papeleiras e algumas unidades do têxtil serão abrangidas pela medida em negociação com Bruxelas.

A nova medida de apoio que o Governo está a negociar com a Comissão Europeia para as empresas intensivas em gás pode vir a abranger até 50 entidades das indústrias do vidro, cerâmica, siderurgia, papel e têxtil. Na fase de arranque serão pouco mais de uma vintena.

Em causa está um novo patamar de até dois milhões de euros no Programa Apoiar Indústrias Intensivas em Gás, que o Governo está a negociar com Bruxelas, conforme avançado pelo Dinheiro Vivo. O Negócios acrescenta agora que, atendendo à realidade do tecido industrial nacional, a medida deverá abranger, numa fase inicial, "um número ligeiramente acima de 20 empresas", embora se espera que haja condições para que chegue a um universo entre as 40 e 50 grandes empresas consumidoras intensivas de gás.

PUB

Um número que, embora não seja elevado, representa uma fatura importante da faturação das empresas nacionais e das exportações.

Por outro lado, destaca o jornal, o programa Apoiar Indústrias Intensivas em Gás que está em vigor ainda não esgotou os 160 milhões de euros que lhe foram alocados. Com um limite de 400 mil euros por empresa, o programa apoia empresas que pagaram um preço unitário de gás de, pelo menos, o dobro do preço médio de 2021, e que tenham um custo na aquisição de gás em 2021 de, pelo menos, 2% do seu volume de negócios. Um limite que tem vindo a ser duramente criticado e que, segundo o Público, o Governo pretende aumentar para os 500 mil euros.

A segunda fase de candidaturas ao programa está a decorrer, sendo que, na primeira, foram mais de 180 as empresas que se candidataram.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG