Conteúdo Patrocinado

Animais de estimação vivem cada vez mais

Animais de estimação vivem cada vez mais

Esperança média de vida quase duplicou nas últimas décadas, graças à alimentação e assistência médica.

Fazem parte da família e vivem cada vez mais. A esperança média de vida de cães e gatos cresceu nas últimas décadas e há múltiplos fatores que contribuíram para esse aumento. Desde a alimentação à assistência médica, passando por uma maior proximidade e interação com o dono.

"Quase duplicou a longevidade dos animais nos últimos 30 anos. Já há estudos nesse sentido. Estamos a falar de animais que durariam entre os sete e os 10 anos e agora vão aos 15 ou 18 anos. Alguns chegam aos 20 anos. Se falarmos em gatos, cada vez é mais comum tratarmos de gatos com 18, 19, 20 anos", afirma Clara Landolt, médica veterinária do Hospital Veterinário da Universidade do Porto (UPVet), que chegou a tratar um gato com 24 anos.

Por norma, "quanto maior for o porte do animal, menor é a longevidade", sendo que há "atitudes" a ter em conta para dar a cães e gatos uma vida mais duradoura e com qualidade. Uma alimentação equilibrada, adaptada à espécie e à idade do animal, permite "obter um melhor resultado em termos de massa muscular, funcionamento do tubo digestivo e do sistema imunitário". Acrescem, naturalmente, os cuidados médicos.

"Há muitos anos, os animais que apareciam para vacinar eram os cães de caça, porque tinham de ter a vacina da raiva para andar no monte. Agora, as exigências são maiores e conseguiu-se provar e mostrar que as vacinas funcionam. Lembro-me de, quando acabei o curso, aparecerem ninhadas inteiras com esgana. Com as vacinas é raríssimo aparecer um caso de esgana", acrescenta Clara Landolt.

Em idade geriátrica, os animais têm doenças similares às dos humanos, como diabetes, hipertensão, cataratas, artroses e cancro. Neste campo, a proximidade entre o tutor e o bicho de estimação pode influenciar a longevidade.

"Se o animal estiver no fundo do quintal, só ao fim de uma semana é que o dono se apercebe, se calhar, que a comida sobrou. Dentro de casa, o tutor repara logo se não comeu o suficiente, se está com uma expressão diferente, se o pelo está fraco, se perdeu massa muscular. Isso leva a que mais rapidamente possam contactar o veterinário e mais cedo conseguir iniciar algum tipo de terapêutica que tenha sucesso", explica a médica veterinária.

Clara Londolt sublinha ainda a evolução do papel do animal na vida humana. Deixou de ter "uma função de trabalho", como guardar de terrenos, casas ou rebanhos, para passar ser "mais um membro da família".

"Há uma maior intimidade dos tutores com os animais. Antigamente, o animal ficava no quintal ou no terreno para tomar conta da casa. Agora, vive com as pessoas dentro de casa. Muitas vezes dorme na cama dos donos e acompanha filhos, casais ou pessoas que vivem sozinhas", termina.

August, ou Augie para os mais próximos, um golden retriever a viver nos Estados Unidos da América, celebrou 20 anos há cerca de um mês. O cão, cujo nome oficial é August, nasceu a 24 de abril de 2000 e, segundo a Imprensa britânica, foi adotado aos 14 anos de idade por uma família que reside no Tennessee. A publicação avança ainda que os animais desta raça têm, por norma, uma esperança média de vida entre os 10 e os 12 anos e, portanto, Augie pode ser o golden retriever mais velho do Mundo.

Cães e gatos são estrelas em passatempo

Para quem tem animais em casa, há brincadeiras que ficam gravadas na memória. Para eternizar e dar a conhecer esses momentos, o "Jornal de Notícias" e a revista "Notícias Magazine" uniram-se ao Pétis na promoção do passatempo "Amigos Felizes", onde as estrelas são os bichos de estimação. O desafio é simples: as famílias têm de gravar num pequeno vídeo um momento original protagonizado pelos fiéis amigos de quatro patas. As inscrições para o passatempo já arrancaram e decorrem até 17 de julho. Para participar basta partilhar o vídeo na rede social Tik Tok, identificando-o com @TIKTOKAMIGOSFELIZESPETIS e a hashtag #amigosfelizespetis. Depois, é só aguardar pelo encerramento da votação online, também no dia 17 de julho. Entre os vídeos concorrentes, serão premiados os seis com mais "gostos". Os vencedores serão conhecidos a 19 de julho, no site do "Jornal de Notícias" e da "Notícias Magazine". Para os seis mais votados, há um prémio consoante o lugar alcançado. Todos recebem quatro coleiras repelente para cão ou para gato. Aos três primeiros lugares acresce ainda um voucher para gastar numa loja Kiwoko. A conquista do pódio equivale a 40 euros em compras. Já o segundo lugar recebe um vale de 20 euros e o terceiro de 10 euros. Os prémios serão entregues nos trinta dias subsequentes ao término do passatempo.

Aceda aqui a todos os conteúdos do passatempo "Amigos Felizes"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG