O Jogo ao Vivo

Previsão

Gasóleo dispara 14 cêntimos na próxima semana e fica mais caro que gasolina

Gasóleo dispara 14 cêntimos na próxima semana e fica mais caro que gasolina

O gasóleo deverá subir 14 cêntimos e a gasolina oito já na próxima segunda-feira, mas a volatilidade das cotações internacionais pode ainda provocar uma subida maior. Governo promete medidas para "mitigar impacto"

O preço dos combustíveis vai disparar na próxima semana, com um aumento esperado de, pelo menos, 14 cêntimos no gasóleo e de oito cêntimos na gasolina, devido à subida das cotações do petróleo e dos produtos refinados nos mercados internacionais.

Este é não só o décimo aumento consecutivo desde o início de 2022, como é o mais elevado de sempre, influenciado pela instabilidade criada pela invasão da Ucrânia. Recorde-se que, apesar de ter fechado a cair 2,24% para 110,40 dólares, ontem o barril de Brent abriu a subir 116,8 dólares, atingindo um novo máximo desde 2013. Isto depois de, durante a madrugada de quinta-feira, ter chegado a ultrapassar os 118 dólares.

Hoje, a tendência continua a ser de crescimento, com o barril de petróleo do Mar do Norte, que serve de referência aos preços na Europa, a rondar os 113 dólares.

Assim, e para o consumidor português, isto significa que o preço médio do gasóleo simples, que ontem estava nos 1,678 euros por litro, segundo os dados da Direção-Geral de Energia e Geologia, deverá aproximar-se na próxima segunda-feira dos 1,82 euros. Já a gasolina simples 95, que atualmente está nos 1,836 euros por litro, deverá passar a custar muito próximo dos 1,92 euros.

Entretanto, o secretário de Estado da Energia já prometeu medidas para mitigar a subida dos combustíveis, mas considerou "impossível" anulá-la. "Haverá medidas para mitigar o impacto da subida dos combustíveis, agora temos de ter uma coisa presente, que é, uma crise desta magnitude em todas as áreas dos combustíveis, obviamente não dá liberdade total ao Governo para anular o efeito negativo de uma crise", disse João Galamba aos jornalistas, à margem de uma conferência promovida pelo jornal "online" ECO sobre "A guerra na Europa e o choque energético", onde tomou conhecimento da subida prevista nos preços dos combustíveis na próxima semana.

Leia mais em Dinheiro Vivo.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG