SINTAB

Greve na Novadis com 98% de adesão em Setúbal, 60% no Porto e 10% em Lisboa

Greve na Novadis com 98% de adesão em Setúbal, 60% no Porto e 10% em Lisboa

A greve de trabalhadores da Novadis, distribuidora da Sociedade Central de Cervejas (SCC), teve uma adesão de cerca de 98% em Setúbal, 60% no Porto e 10% em Lisboa, de acordo com o balanço do SINTAB.

"A greve teve mais impacto em Setúbal e no Porto. Em Setúbal rondou os 98%, o Porto à roda dos 60% e Lisboa é que teve menos impacto, foi ali 10%", disse à Lusa a dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal Helena Cardoso.

Por seu turno, de acordo com fonte oficial da empresa, a greve desta sexta-feira "regista uma adesão de entre 9% e 10% dos colaboradores abrangidos".

A Novadis refere ainda que "o caderno reivindicativo apresentado, na generalidade, não é novo e está a ser e tem sido discutido nas instâncias adequadas".

Os trabalhadores da Novadis cumprem esta sexta-feira um dia de greve nacional e uma manifestação junto à fábrica da Sagres em Vialonga, Vila Franca de Xira, "contra a imposição do banco de horas negociado entre a empresa e a UGT, contra a discriminação salarial geográfica, e pela integração no AE [Acordo de Empresa] SCC-Heineken", referia o SINTAB em comunicado.

Segundo o sindicato, "após inúmeras tentativas de diálogo com a sua entidade patronal, [...] todas elas falhadas por manifesta falta de vontade da empresa detentora da cerveja Sagres, os trabalhadores decidiram mandatar o SINTAB para que dê entrada com processos jurídicos nos tribunais, no sentido da reposição da legalidade".

PUB

Ainda decidido pelos trabalhadores foi "reforçar as ações com a greve na próxima sexta-feira, que terá o seu ponto mais visível na manifestação agendada para esse mesmo dia, de todos os trabalhadores do país, junto à fábrica da Sagres, em Vialonga".

"Os trabalhadores entendem que a posição da empresa, espelhada também no desinteresse por parte da Heineken holandesa, após denúncia, merece que se aumente o reforço da contundência das ações de protesto", salientam.

O 'braço de ferro' entre os trabalhadores da Novadis e a SCC-Heineken dura há mais de um ano, com os primeiros a denunciarem a prática de "discriminação salarial geográfica em Portugal", pelo facto de "os motoristas de distribuição do Grande Porto receberem, de salário, cerca de menos 150 euros que os seus iguais em Lisboa".

Adicionalmente, o SINTAB tem também vindo a reclamar a regularização de diversas situações que considera "ilegais", nomeadamente "a imposição do recurso ao banco de horas por aplicação abusiva, aos trabalhadores, de uma contratação coletiva penosa acordada a preceito com a UGT".

Parte integrante do grupo ​​​​​​​SCC, controlado pelo grupo cervejeiro Heineken, a Novadis é responsável, a nível nacional, pela distribuição, assistência técnica e vendas das marcas do grupo, nomeadamente da cerveja Sagres.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG