Turismo

Hoteleiros do Algarve apoiam providência cautelar contra a TAP

Hoteleiros do Algarve apoiam providência cautelar contra a TAP

O presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) apoia a iniciativa da Associação Comercial do Porto que pretende vetar injeção de 1,2 mil milhões de euros do Estado na companhia aérea.

Elidérico Viegas disse, à Renascença, que vai subscrever a providência cautelar interposta pela associação nortenha para prevenir que o Estado utilize milhares de milhões de euros dos contribuintes para resgatar a TAP, quando a companhia "é apenas uma transportadora aérea que concentra toda a sua operação em Lisboa e que não opera diretamente, sobretudo a nível do tráfego europeu, para os diferentes aeroportos nacionais, exceto o aeroporto de Lisboa".

No que respeita ao Algarve, o presidente da AHETA nota que "a TAP teve sempre uma posição muito residual", sendo responsável por um tráfego aéreo que "não vai além dos três por cento ao ano". Por isso, argumenta, "os elevados prejuízos que a TAP sempre registou ao longo do seu percurso não podem ser alocados às regiões como o Algarve".

"O que faz sentido e tem lógica é que o Estado dote as diferentes regiões e diferentes aeroportos nacionais com verbas, tal como disponibiliza para a TAP, para que possamos apoiar as companhias aéreas que de facto trazem os turistas para o nosso país", rematou Elidérico Viegas.

Outras Notícias