Convenções

ADSE perde acordo com 69 unidades de saúde

ADSE perde acordo com 69 unidades de saúde

Grupo Hospital Particular do Algarve (HPA Saúde) confirma que pretende denunciar convenção, juntando-se aos grupos Lusíadas, Luz Saúde e José de Mello Saúde (hospitais Cuf).

"O grupo HPA confirma que comunicou à ADSE a intenção de efetivar a denúncia do acordo de convenção, nos termos e prazos previstos no mesmo", refere fonte do grupo que detém 17 hospitais ou clínicas a Sul de Lisboa e ainda uma unidade na Madeira. Somando às denúncias dos grupos Lusíadas, Luz Saúde e José de Mello Saúde, os beneficiários da ADSE - cerca de 1,2 milhões que integram este subsistema dos funcionários públicos - perdem num ápice 69 pontos de apoio médico em todo o território.

Os detentores de cartão da ADSE não deixarão de ser atendidos nas referidas unidades de saúde, mas a partir de abril (Cuf e Luz) poderão ter outros preços. Tanto os hospitais Cuf como os da Luz já anunciaram que irão ter preços "especiais" para os beneficiários da ADSE.

O Conselho Geral e de Supervisão (CGS) da ADSE vai reunir-se com a ministra da Saúde nesta terça-feira, dia 19.

A regularização de faturas referentes a 2015 e 2016, em que a ADSE pede aos privados o pagamento de 38 milhões de euros, tem estado na base da contestação dos hospitais privados, havendo já quatro grandes grupos a ponderar cancelar convenções com o subsistema de saúde dos funcionários públicos.

A presidente do conselho diretivo da ADSE, Sofia Portela, disse há dias que está a trabalhar para estabelecer uma tabela de preço fixo para os casos em que atualmente os prestadores ainda têm preços abertos e que são depois sujeitos a regularização.