Provedor

Santa Casa vai entrar no capital do Montepio com verba até 30 milhões de euros

Santa Casa vai entrar no capital do Montepio com verba até 30 milhões de euros

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa vai entrar no capital da Caixa Económica do Montepio Geral, confirmou o provedor da instituição, Edmundo Martinho, em entrevista à TSF e ao "Diário de Notícias".

O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) adiantou que o negócio será fechado nas próximas semanas e "entrará numa dimensão que está em linha com o que a própria associação mutualista decidiu na semana passada de autorizar a direção da mutualista a alienar até 2% do seu capital".

De acordo com a TSF, a Santa Casa não vai entrar sozinha naqueles 2%, avançando com outras misericórdias e Instituições Particulares de Segurança Social (IPSS) para alcançar o investimento necessário, sendo que o valor a entregar pela SCML pode chegar no máximo aos 30 milhões de euros.

"A participação simbólica vai permitir à Santa Casa ter representantes não executivos nos órgãos sociais da Caixa Económica Montepio Geral e também escolher, em conjunto com a Associação Mutualista, o presidente da Mesa da Assembleia Geral", disse.

Em declarações à TSF e ao DN, Edmundo Martinho lamentou que "ao longo do processo se tenham falado em valores irreais e que se tenham especulado diversos aspetos do negócio" e garantiu que a entrada no banco "é um investimento" que, "além de ser afetivo, é também financeiro porque permite que a Santa Casa consolide a sua posição e possa retirar daí benefícios que se traduzam eles próprios em capacidade acrescida de intervir".

O provedor da SCML sublinhou que este "negócio não é um subsídio, não é um apoio, é um investimento". "É nesse ponto de vista que o entendemos e é nessa lógica que vamos avançar", disse.

Edmundo Martinho destacou também que esta "intervenção de natureza financeira ficará por uma percentagem muito baixa dos ativos" da Santa Casa.

O provedor adiantou também que "não haverá investimento acima dos 3% a 4% dos ativos", assegurando que "não põe em causa nenhum dos investimentos avultadíssimos que estão previstos para a cidade de Lisboa".

Desde o ano passado que tem sido falada a hipótese de a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), entidade tutelada pelo Governo, entrar no capital do banco Montepio Geral.

A Caixa Económica Montepio Geral é detida na totalidade pela Associação Mutualista Montepio Geral.

ver mais vídeos