Pandemia

Mário Centeno: Portugal "nunca esteve tão bem preparado para esta crise"

Mário Centeno: Portugal "nunca esteve tão bem preparado para esta crise"

O ministro das Finanças falou esta quarta-feira sobre o impacto da pandemia na economia portuguesa e garantiu que Portugal está preparada para uma possível crise.

Mário Centeno reconheceu que a pandemia está a "paralisar as partes mais críticas da economia", mas garante que Portugal "nunca esteve tão bem preparado" para o impacto económico do Covid-19. Esta quarta-feira, o Instituto Nacional de Estatística registou um excedente de 0,2% do PIB, estimado em 403,9 milhões de euros, sendo assim o primeiro saldo orçamental positivo no país desde 1973.

O ministro das Finanças afirmou ainda que os próximos dias serão decisivos para o combate à luta do Covid-19. "A paragem súbdita da economia vai ter impacto nas contas públicas", reconheceu. Embora consciente da maior despesa na setor da saúde e de mais apoios sociais, Centeno esclareceu que ainda é cedo para "construir cenários detalhados". "Dentro de alguns meses será possível saber o impacto real", acrescentou.

O governante adiantou que é normal que o saldo orçamental em 2020 se deteriore "em alguns pontos percentuais" do PIB. Questionado se haverá medidas de austeridade após a pandemia, Mário Centeno não foi claro na resposta, mas disse que esta crise não se deve a "desequilíbrios macroeconómicos", é "temporária", e por isso, a atividade produtiva de Portugal será retomada assim que estejam garantidas as condições sanitárias. "Portugal tem uma base sólida para retomar a atividade", disse.

O Orçamento de Estado para este ano e que entrará em vigor a partir de 1 de abril tem "margens de acomodação", disse o ministro das Finanças.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG