Premium

Milhares de passageiros esperam há meses por reembolso de voos cancelados

Milhares de passageiros esperam há meses por reembolso de voos cancelados

Lei impõe devolução do valor dos bilhetes em sete dias. Maioria das queixas visa a TAP, mas quase todas as companhias escondem informação aos clientes.

Milhares de passageiros esperam há meses pelo reembolso do dinheiro pago por viagens de avião canceladas devido à pandemia. O prazo legal para a devolução desse montante é de sete dias e só a Deco - Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor - que acusa as companhias aéreas de imporem aos clientes vouchers de substituição - recebeu quase 6700 pedidos de ajuda. A Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) confirma "um elevado número de reclamações" e nas redes sociais multiplicam-se os grupos de protesto contra as transportadoras, sobretudo a TAP, que justifica os atrasos com "um número extraordinariamente elevado de pedidos de reembolso".

Vítor Soares, 38 anos, é um dos passageiros que (des)esperam pela devolução do valor dos bilhetes de avião que nunca chegaram a utilizar. Emigrante em Inglaterra, viajou, com a mulher e o filho, para Portugal em agosto e decidiu adiar de 21 para 22 desse mês o regresso a casa. Não conseguiu, cancelou os bilhetes e marcou novo voo. Como tinha comprado bilhetes Top Executive da TAP, mais caros e que permitiam receber o dinheiro em caso de cancelamento, requereu o reembolso. Contudo, mais de dois meses depois, aguarda pela devolução do montante pago e, a 12 de outubro, recebeu uma mensagem da TAP somente a lamentar "a demora".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG