CMVM

Regulador recebeu mais de 90 denúncias contra seis influenciadores

Regulador recebeu mais de 90 denúncias contra seis influenciadores

Entre denúncias e pedidos de informação, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) recebeu, em quase dois meses, um total de 308 comunicações visando seis influenciadores portugueses. Cerca de 70% dizem respeito a pedidos de informação.

A CMVM recebeu, em menos de dois meses, mais de 90 denúncias contra seis influenciadores digitais portugueses (ou respetivas entidades) que não estavam autorizados nem registados junto do regulador para o exercício de qualquer atividade de intermediação financeira em Portugal.

As queixas visam especificamente os youtubers Diogo Figueiras, mais conhecido por Windoh (Blvck Network), David Soares (Global Youth Trading/Wevesting) e Cláudio André bem como os influenciadores digitais Gonçalo Pereira (Trading Jar), Miguel Pereira (Forex Gods) e João Fox (Bysignals).

PUB

"Na sequência dos seis alertas referidos, o primeiro dos quais publicado a 12 de março, a CMVM recebeu, entre denúncias e pedidos de informação, um total de 308 comunicações, sendo cerca de 70% referentes a pedidos de informação", esclarece o regulador ao JN, sem especificar, no entanto, a distribuição das denúncias por cada influenciador.

Em causa, está, regra geral, a venda de cursos e/ou dicas de como investir no mercado financeiro. No entanto, tal como o JN noticiou, há relatos de muitos jovens (e não só) que perderam centenas ou milhares de euros por confiaram nestes "falsos gurus" do Forex.

"As denúncias foram todas respondidas e analisadas e no caso em que se justifica sujeitas a investigação e/ou transmissão a outras entidades quando não se enquadram na esfera de competências da CMVM", acrescenta.

Nos últimos meses dispararam o número de alertas divulgados pela CMVM sobre entidades não autorizadas que, sem estarem habilitadas para tal, prestavam aconselhamento financeiro, muitas vezes através de redes sociais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG