Aviação

Transavia suspende ligações entre Porto e Funchal e deixa passageiros em terra

Transavia suspende ligações entre Porto e Funchal e deixa passageiros em terra

A Transavia mudou os planos de voo por causa das restrições implementadas em França e deixou passageiros em terra, na Madeira.

Passageiros que, na sexta-feira de manhã, aterraram no aeroporto do Funchal, vindos do Porto, pela Transavia, foram surpreendidos, horas depois, por um e-mail que inviabilizava a viagem de regresso. "Lamentamos informar que tivemos de cancelar o seu voo. Compreendemos que o cancelamento é muito inconveniente. Irá receber a quantia total que pagou pelo voo, dentro de 30 dias." Foi esta a mensagem enviada pela companhia de baixo custo (com sede em Holanda mas com filial francesa) aos passageiros que tinham viagem marcada para quarta-feira da próxima semana (4 de novembro). Sem explicação e sem alternativas, apenas a garantia de reembolso pela viagem que não se iria realizar.

Uma busca pelo site da Transavia permite concluir que, além de a ligação Funchal - Porto para esse dia ter sido cancelada, não há voos disponíveis para o trajeto em causa durante todo o mês de novembro - o primeiro voo surge a 2 de dezembro. A situação obrigou os passageiros afetados a alterarem os planos e marcarem viagem para outras datas e com outras companhias aéreas, com preços substancialmente mais altos. Também indisponível está a rota Porto - Funchal.

Restrições em França ditam alterações de rotas

Questionada pelo JN, a Transavia explicou que "devido às medidas de confinamento anunciadas pelo presidente francês na última quarta-feira, 28 de outubro, e às restrições de movimentos que têm sido postas em prática, o programa de voos da Transavia foi revisto", começando os ajustamentos esta segunda-feira. Isto porque, embora opere em Portugal, a companhia aérea não tem base no país - equipas e aviões estão localizados em França. "Se um voo for cancelado, será proposto um reembolso aos clientes. Os clientes podem ainda adiar os seus voos até 30 de outubro de 2021, sem taxas de modificação (assumindo apenas eventuais diferenças de tarifa)", acrescentou a empresa na nota enviada.

Outras Notícias